Entrevista Exclusiva com Gerd Wenzel

O Batom e Futebol teve o privilégio e a honra de entrevistar o maior comentarista de futebol alemão da TV brasileira! Com vocês Gerd Wenzel, comentarista dos canais ESPN.

Gerd Wenzel

Batom e Futebol – Time do coração?

Gerd Wenzel –  No Brasil: Santos FC ; na Alemanha: Union Berlin (2ª divisão – talvez 3ª, temporada que vem)

BF – Cidade na Alemanha?

GW – Nasci em Berlim, no hoje bairro cult Prenzlauer Berg.

BF – É extremamente gratificante para qualquer admirador do futebol alemão ver e ouvir a sua desenvoltura e comentários durante as partidas. Você identifica sempre as melhores jogadas, quem o técnico vai substituir, todos os convidados e cartolas que a emissora alemã focaliza nas tribunas e arquibancadas. A que você atribui esta precisão? Afinal qual o segredo do Gerd Wenzel?

GW – Olha Josy, não tem segredo. É pesquisa mesmo. Desde os tempos que a TV Cultura fazia o campeonato alemão (1991 – 1994) lia tudo que podia a respeito da Bundesliga, clubes, jogadores, técnicos e olha que na época não havia Internet. E continuo fazendo isso até hoje. Depois de tanto pesquisar, chega um ponto em que você acaba conhecendo o plano de jogo de cada time e o que se passa na cabeça dos técnicos.

BF – O que você pensa da postura do técnico Louis Van Gaal, de preferir não trabalhar com atletas brasileiros?

Louis Van Gaal – Técnico do FC Bayern Munich

GW – Acho péssimo e preconceituoso. Além disso, com o tempo, há um desgaste natural no relacionamento entre Van Gaal e os jogadores, pela forma autoritária como comanda a equipe. É uma administração ultrapassada de recursos humanos.

BF Em sua opinião, o que está faltando ao Werder Bremen hoje? Você concorda com o que dizem alguns torcedores, que Thomas Schaaf está acomodado no cargo e falta motivação para equipe?

GW – É dificil mesmo de entender o que acontece com o Werder Bremen. Nos últimos anos esteve em 5 oportunidades na fase de Grupos da Champions League. Cada vez que você participa dessa fase, o clube recebe limpo aproximadamente 25 milhões de euros. É só fazer as contas – onde foi parar toda essa dinheirada? A informação de que disponho é que aproximadamente 50% desse valor foi investido na reforma do Weserstadion (anel superior). E o resto? E a venda de jogadores como Diego e Özil? E as contratações pífias que foram feitas? Na minha opinião, tanto Schaaf como Allofs (Diretor de Esportes) fazem uma dupla não apenas acomodada nos seus cargos, mas estão também desgastados com a torcida e com os jogadores.

Klaus Allofs- Diretor de Esportes e Thomas Schaaf – Técnico , ambos do Werder Bremen

BF – Ainda sobre o Werder Bremen, não estaria o clube precisando de sangue novo para gerir sua equipe, alguém com maior liderança? Quem você indicaria?

GW – Concordo plenamente. Deveria ser alguém como Jürgen Klopp (Borussia Dortmund), Thomás Tuchel (Mainz 05); algum técnico da nova geração.

Jürgen Klopp – Técnico do Borrussia Dortmund

Thomás Tuchel – Técnico do Mainz 05

BF – A que você credita a boa atuação e desempenho da equipe do Mainz 05, recém saido da 2ª divisão do campeonato?

GW – Credito a um trabalho com os times de base desde a época em que Jürgen Klopp foi técnico no Mainz. Esse trabalho continua até hoje e o resultado está aí: Uma equipe que, a exemplo dos jovens de Dortmund, vive passando a perna nos medalhões.

BF – Na sua opinião, quem será o campeão da Bundesliga 2010/2011?

GW – Pago uma feijoada se o Borussia Dortmund não for campeão.

BF – Cobrarei a feijoada(risos)!!!

BF – Como explicar o fenômeno bem observável de alguns jogadores com ótimo desempenho em seus clubes, que quando convocados para a Seleção Nacional deixam a desejar? E o contrário, jogadores com desempenho razoável em seus clubes que chegam na Seleção Nacional e dão espetáculo?

Gerd Wenzel – A grosso modo, aí o problema não é do jogador mas do que o respectivo técnico exige dele e como utiliza o atleta em campo. Exemplos claros na Alemanha são Klose e Podolski – nos clubes fracos, na seleção, com Joachim Löw, jogam muito.

Miroslav Klose – Jogador do Bayern  Munich e  Lukas Podolski – Jogador do Fc Colônia

Joachim Löw – Técnico da Seleção Alemã de Futebol

BF – Você não acha prematura a decisão do técnico Joachim Löw de dispensar alguns talentos como Torsten Frings e possivelmente Michael Ballack, em detrimento de outros que não apresentam um grande rendimento na seleção? Acredito ser possível testar novos talentos e ao mesmo tempo manter jogadores mais experientes, que ainda tem muito a ensinar para esta nova geração. Você tem uma opinião formada a este respeito?

Resultado de imagem para Torsten Frings

Torsten Frings – Jogador do Werder Bremen

Michael Ballack – Jogador do Bayer Leverkusen

GW – Não acho prematuro não. Com todo respeito por Ballack e Frings, acho que o tempo deles já passou. Frings está com 34 anos e visível má vontade em campo. Nem de longe é aquele jogador raçudo da Copa de 2006. Está desmotivado e preocupado com o encaminhamento que vai dar à sua carreira. Ballack não fez falta à seleção alemã em 2010; também com um jovem meio de campo formado por Khedira, Schweini, Özil e Müller, que mais a Alemanha precisa? Os dois prestaram excelentes serviços ao futebol alemão mas está na hora da juventude talentosa tomar o poder.

BF – Para você, quem leva a Euro 2012?

GW – Agora você me pegou. São os suspeitos de sempre: fico entre Espanha e Alemanha.

BF – Danke, Wenzel

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Por Josy Galvão


4 responses to this post.

  1. Posted by Di Fátima on dezembro 15, 2010 at 10:14 am

    parabéns, excelente entrevista.

    Responder

  2. Oi, Josy! Estou muito feliz por tomar conhecimento, ainda que tardio, de seu blog. E ainda mais feliz por ler uma entrevista com o GRANDE Gerd Wenzel🙂

    Concordo com ele que Frings e o Ballack já tiveram seu tempo na seleção, mas tiro o Khedira da lista de craques do meio de campo da Alemanha. Foram Ozil, Muller e o mala do Schweinsteiger que fizeram o sucesso da Mannschaft na Copa da Alemanha. Khedira foi só figuração.

    Responder

  3. Sou Faaaaa do Gerd Wenzel, otima entrevista! O CARA EH GENIO!!! Adorooo o blog, valeu galera

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: