Archive for março \31\UTC 2011

Pudim Sonho de Valsa

Pudim Sonho de Valsa

Pudim Sonho de Valsa: delícia com pedaços de bombom

Foto: Ormuzd Alves

 

Ingredientes

. 8 bombons Sonho de Valsa
. 1 lata de leite condensado
. 2 xícaras (chá) de leite
. 4 ovos

Modo de preparo

Caramelize uma forma para pudim de 20cm de diâmetro com fura central e coloque os bombons, de forma que cubra o fundo e parte das laterais. No liquidificador, bata o leite condensado, o leite e os ovos. Coloque na forma e asse em banho-maria no forno preaquecido a 200º durante 50 minutos ou até firmar.

Dica: Você pode usar o bombom de sua preferência.

Preparo: Rápido (até 30 minutos)
Rendimento: 10 porções
Dificuldade: Fácil
Categoria: Pudim
Calorias: 227 por porção

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br

JGalvão

Anúncios

Abily, o orgulho francês

Abily, o orgulho francêsAFP

 

Considerando a campanha impressionante que a França fez nas eliminatórias — 11 vitórias e um empate, com 53 gols marcados e apenas dois sofridos —, o país parece ter as armas necessárias para fazer bonito na Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011. E até para vencê-la, por que não?

Após o sorteio que definiu as chaves do Mundial, realizado em dezembro na cidade de Frankfurt, o técnico Bruno Bini se revelou otimista, mesmo que a equipe francesa seja apontada como zebra do Grupo A — que conta ainda com Alemanha, Canadá e Nigéria. “Posso garantir que temos argumentos sérios e que as nossas adversárias não acharão divertido jogar contra nós”, disse o treinador em entrevista ao FIFA.com. Mais do que em argumentos, porém, as Bleues apostam na sua excepcional camisa 10 para chegarem à decisão do torneio.

Embora prefira destacar “as virtudes técnicas do grupo”, Camille Abily será a principal referência da equipe na Alemanha. A meio-campista de 26 anos e natural de Rennes se firmou como líder de uma seleção que tem mostrado perfeito entrosamento. A presença dela na lista das atletas pré-selecionadas ao prêmio de Jogadora do Ano da FIFA 2010 fala por si só, mesmo que a francesa não tenha ficado entre as três mais votadas.

À conquista do oeste
Por outro lado, Abily não teve nenhuma dificuldade para cair nas graças dos olheiros americanos. Depois de mostrar seu talento na França com os uniformes de Montpellier e Lyon entre 2003 e 2009 — período aliás recheado de títulos (foi campeã nacional em 2004, 2005, 2007 e 2008) e prêmios individuais (foi eleita melhor jogadora do país em 2006 e 2007) —, Abily se transferiu para o Los Angeles Sol para disputar a prestigiada WPS, a liga de futebol feminino dos Estados Unidos. Com oito gols em 18 partidas como titular, a temporada dela não deixou a desejar.

Durante a pausa da WPS, Abily aproveitou para cruzar novamente o Atlântico e pôr à prova no Paris Saint-Germain a experiência que adquiriu na Terra do Tio Sam. Treze jogos e 12 gols mais tarde, voltou aos Estados Unidos para defender o Gold Pride. Desta vez escalada para atuar como volante, a francesa fez bem menos gols (apenas um), mas passou a dar mais assistências, totalizando seis passes em jogadas que terminaram com bola na rede.

O balanço certamente é positivo. “Essa experiência me trouxe muita coisa, porque possibilitou que eu convivesse com as melhores jogadoras do mundo”, explicou Abily ao FIFA.com. “A gente necessariamente aprende muito ao lado de atletas como MartaShannon Boxx ou Aya Miyama. Mas o mais importante é que pude perceber que a França não tinha do que se envergonhar. A aventura me deu confiança e também para todas nós”, resumiu ela, com um grande sorriso.

Entre a prudência e a confiança
De volta à França em 2011, a meia está contribuindo para a campanha impecável do Lyon no futebol europeu. Depois de comemorar antecipadamente o título do Campeonato Francês com a vitória de 1 a 0 sobre o Montpellier no último fim de semana, o clube disputará em breve a semifinal da Liga dos Campeões da UEFA contra o Arsenal. Para Abily, porém, o ponto alto do ano continua sendo a Copa do Mundo Feminina da FIFA na Alemanha. “Quando se joga um torneio é para vencer”, garante aBleue.

Mas o lado competidor da francesa é contrabalançado pela prudência. “Primeiro precisamos passar da fase de grupos”, lembra Abily. “Temos uma chave realmente difícil, ao lado das canadenses, nigerianas e alemãs, que certamente são as favoritas, mas confio na nossa seleção.” E a seleção também pode confiar na sua camisa 10. “Tive a sorte de jogar nos Estados Unidos com a Christine Sinclair e a Candace Chapman, então conheço várias jogadoras do Canadá. É claro que elas devem ser levadas muito a sério. A Nigéria, em compensação, é uma incógnita para mim. Quanto à Alemanha, é uma equipe fantástica que será ainda mais perigosa por jogar em casa.”

Esbanjando segurança, Abily espera inspirar as companheiras de seleção. “De certa maneira, temos vontade de recuperar o prestígio da França na Copa do Mundo”, revela. “Queremos mostrar outra cara, um pouco como a equipe masculina está fazendo atualmente. Muitos adorariam participar de um Mundial, mas poucos têm essa chance. Faremos de tudo para não desperdiçá-la, realizando uma bela competição.”

 

Fonte: http://pt.fifa.com

JGalvão

 

No embalo da torcida, Santa bate São Paulo e leva decisão para Barueri

Mesmo com um homem a menos durante boa parte do segundo tempo, time pernambucano saiu com a vitória por 1 a 0, gol contra de Rodrigo Souto

Lucas são paulo santa cruz (Foto: Rubens Chiri / Agência Estado)Lucas sofrfeu muito com a marcação forte de Wesley e Jeovânio (Foto: Rubens Chiri / Agência Estado)

 

Um gol contra marcado por Rodrigo Souto, aos 34 minutos do primeiro tempo,

deixou o São Paulo em situação complicada na Copa do Brasil. Diante de um Santa Cruz valente e empurrado por sua apaixonada torcida, que fez uma festa incrível no estádio do Arruda, o Tricolor paulista alternou muito durante os 90 minutos e saiu de campo com uma derrota por 1 a 0, no jogo de ida da segunda fase da competição. Para não ser eliminado na volta, dia 6, em Barueri, a equipe comandada por Paulo César Carpegiani terá de vencer o rival por dois gols de diferença. Se o placar do primeiro se repetir a favor do time do Morumbi, o classificado será conhecido nos pênaltis. Para os pernambucanos, valem três resultados: vitória, empate ou derrota por um gol, desde que marcando pelo menos um em Barueri (exemplo: 2 a 1, 3 a 2…).

Santa surpreende e Souto faz gol contra no primeiro tempo

Os dois times entraram com novidades na escalação. No Santa Cruz, Zé Teodoro resolveu reforçar a marcação no meio-campo com a entrada do volante Everton Sena ao lado de Jeovânio e Wesley. No São Paulo, a grande novidade foi Rivaldo – após se recuperar de uma lesão muscular na coxa direita, o meia ganhou sua primeira oportunidade como titular. Para ele, era a realização de um sonho jogar no Arruda, contra o Santa Cruz, seu time do coração e onde começou a carreira. O camisa 10 ficou com a vaga de Carlinhos Paraíba, que ficou como opção no banco de reservas.

No lugar da variação entre o 4-4-2 e o 3-5-2, o time entrou postado no 4-2-3-1: uma primeira linha de quatro defensores, Jean e Rodrigo Souto fazendo a proteção, uma terceira faixa com Lucas aberto pela direita, Rivaldo no meio e Fernandinho caindo pela esquerda e Dagoberto mais à frente, fazendo o papel de referência.

Antes de a bola rolar, o técnico do time pernambucano havia avisado. Para complicar as coisas para o São Paulo, era preciso primeiro acreditar que vencer era possível e depois atuar com o coração no bico da chuteira durante os 90 minutos. E foi exatamente dessa maneira que a equipe da casa começou a partida. Empurrado por sua fanática torcida, que compareceu em grande número ao estádio do Arruda (o público total foi de 46.681 pessoas), o Santa Cruz começou jogando de igual para igual.

A amostra inicial foi dada logo a dois minutos, quando Landu fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro, para boa defesa de Ceni. O São Paulo respondeu aos cinco. Dagoberto recebeu de Lucas e, ao tentar arriscar o chute da entrada da área, foi travado por Leandro Souza. Na sobra, Rivaldo bateu de pé esquerdo, no canto direito de Tiago Cardoso, que voou e fez grande defesa, para alívio da torcida.

A partir dos dez minutos, o jogo mudou. Embora as duas equipes mostrassem muita vontade, as marcações começaram a prevalecer de ambos os lados. O São Paulo pouco criava porque Everton Sena grudou em Lucas, Wesley não deu espaço para Rivaldo e Jeovânio foi o marcador pessoal de Fernandinho. Juan pouco apoiava o ataque pela esquerda. Do lado contrário, Natan não conseguia criar. Como a bola não chegava, ora Landu, ora Gilberto, voltava para buscar jogo.

A emoção voltou à partida aos 23, quando Gilberto exigiu boa defesa de Rogério Ceni. O tempo passava e o Santa Cruz seguia jogando em ritmo acelerado, enquanto que o São Paulo já atuava de maneira mais cadenciada, esperando uma brecha para surpreender. Até que, aos 34, o Arruda veio abaixo. Após cobrança de falta pela direita, Miranda afastou de cabeça. A bola sobrou na esquerda para Gilberto, que passou como quis pelo próprio Miranda, invadiu a área e cruzou rasteiro. Rodrigo Souto, na tentativa de afastar o perigo, jogou para dentro do próprio gol, marcando gol contra. Santa Cruz 1 a 0. O São Paulo acordou e, aos 43, Dagoberto marcou de cabeça. Mas o gol foi bem anulado, já que o camisa 25 estava impedido.

Tricolor pressiona, mas gol de empate não sai

Apesar do forte calor, o segundo tempo recomeçou em alta velocidade. Com um minuto, cada time já havia criado uma chance. O São Paulo, que voltou com Carlinhos Paraíba na vaga do apagado Juan, chegou com Dagoberto, mas Tiago Cardoso defendeu e o Santa Cruz respondeu com Wesley, em lance que foi bem cortado por Rodrigo Souto de carrinho. Em relação ao primeiro tempo, o time paulista aproximou seus três meias de Dagoberto e o time passou a ter mais criação.

Aos cinco, o gol de empate só não saiu porque Tiago Cardoso fez bela defesa em chute de Dagoberto. Três minutos depois, Lucas invadiu a área pela direita e cruzou. A bola atravessou toda a área e sobrou para Fernandinho, que bateu por cima do gol. Aos 12, após belo passe de Alex Silva, Fernandinho cortou a marcação de Cléber Goiano e bateu no canto direito de Tiago Cardoso, que não deu rebote.

Aos 15, Carpegiani mexeu novamente, botando Ilsinho na vaga do irregular Rivaldo, que deixou o gramado aplaudido por metade do estádio e vaiado pela outra parte. Logo depois, o treinador partiu para o tudo ou nada, colocando Marlos na vaga de Rodrigo Souto. A esta altura, o Santa Cruz continuava com o mesmo vigor na marcação, mas com uma postura bem mais defensiva, pensando apenas em garantir o resultado. Para complicar para o time da casa, Leandro Souza, que já tinha cartão amarelo, fez falta feia em Fernandinho e foi corretamente expulso. Com um homem a menos, rapidamente Zé Teodoro trabalhou, colocando o zagueiro André Oliveira na vaga do meia Natan. Aos 27, o Santa chegou com perigo pela primeira vez: Wesley disparou uma bomba de fora da área e Rogério Ceni fez bela defesa.

Nos últimos 15 minutos, o São Paulo pressionou, buscou o empate, mas o Santa se defendeu como podia. Nas arquibancadas, quando parecia que a equipe ficava sem fôlego, a torcida entrava em ação e reanimava os jogadores. O time paulista teve apenas uma chance, em cabeçada de Miranda, que foi por cima do gol, após cobrança de escanteio de Fernandinho. E a decisão ficou para a próxima semana, na Arena Barueri.

SANTA CRUZ 1 X 0 SÃO PAULO
Tiago Cardoso; Cléber Goiano, Leandro Souza, Thiago Matias e Renatinho;  Jeovânio, Everton Sena, Wesley, Natan (André Oliveira) e Renatinho; Landu (Marcus Vinícius) e Gilberto (Laércio). Rogério Ceni, Rhodolfo, Alex Silva, Miranda e Juan (Carlinhos Paraíba); Rodrigo Souto (Marlos), Jean, Rivaldo (Ilsinho) e Lucas; Dagoberto e Fernandinho.
Técnico: Zé Teodoro. Técnico: Paulo César Carpegiani.
Gols: Rodrigo Souto, contra, aos 34 minutos do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Wesley (Santa Cruz); Miranda e Rogério Ceni (São Paulo). Cartão vermelho: Leandro Souza (Santa Cruz)
Data: 30/03/2011. Local: Estádio do Arruda, em Recife-PE. Público pagante: 46.681 pessoas Árbitro: Marielson Alves Silva-BA. Auxiliares: Raimundo Carneiro de Oliveira e José Dias da Hora.

 

 


 

Adriano promete vida nova e sonha com a Seleção: ‘Depende só de mim’

Imperador lembra do histórico de goleador para superar a desconfiança da Fiel, ficar longe das polêmicas fora de campo e ser convocado novamente

adriano apresentação corinthians camisa (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)Adriano recebe a camisa 10 que usará no Corinthians (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

Apadrinhado por Ronaldo, Adriano tenta reerguer a carreira no Corinthians. Depois de inúmeras polêmicas e de chegar ao fundo do poço por problemas psicológicos e com o álcool, o atacante espera voltar a ser o verdadeiro Imperador com a camisa alvinegra. Para isso, aposta em uma nova vida, com bom comportamento fora de campo e mostrando aquilo que melhor sabe fazer: gols. Tudo para, quem sabe, regressar à Seleção Brasileira.

– Depende só de mim. Já errei muito e aprendi muito na vida. Tudo o que eu passo parece que o mundo vai acabar. Grande parte disso sou o culpado, mas dentro de campo consigo fazer tudo. Depende de mim fora de campo para estabilizar minha vida e dar sequência. Estou muito feliz de poder estar nessa nova etapa. Espero fazer de tudo para superar barreira. Sou um cara forte – afirmou.

Adriano luta também com a desconfiança de dirigentes e torcedores do Timão. A contratação dele não foi aprovada por unanimidade pelos pares do presidente Andrés Sanches. Tanto que, por pedido do próprio jogador, cláusulas foram colocadas no contrato. Em caso de mau comportamento, ele terá descontos nos salários.

– Sei a força que tenho. No Flamengo foi assim. Quando cheguei, calei a boca de todo mundo. Não penso em derrotas. Penso em vitórias. Os treinadores que trabalharam comigo sabem o que faço dentro de campo. É só voltar ao meu ritmo que a torcida do Corinthians vai ter muitas alegrias pela frente – ressaltou.

O Imperador não esconde que o principal desejo é retornar à Seleção Brasileira. Em 2010, o jogador era nome certo na lista do técnico Dunga para a Copa do Mundo da África do Sul, mas, por causa de problemas extra campo, ficou fora da relação. Agora, acredita que tem condições de conseguir uma chance com Mano Menezes.

– Vim ao Corinthians para vencer e chegar à Seleção Brasileira. Aqui vou conseguir. Tenho certeza que posso fazer isso. Tenho uma força de vontade muito grande – disse.

O centroavante, contudo, prefere não estipular uma meta de gols para a temporada. A estreia dele também é incerta. Ele precisará de mais 20 dias de fisioterapia no ombro direito para ser liberado para os treinos físicos. O Timão faz seu primeiro jogo no Brasileirão contra o Grêmio, dia 22 de maio, em Porto Alegre.

– Determinação e empenho eu sempre terei.

adriano ronaldo apresentação corinthians (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)Ronaldo fala durante a apresentação de Adriano no Corinthians (Foto: Marcos Ribolli/Globoesporte.com)

 

Fonte: http://globoesporte.globo.com

JGalvão

 

 

 

Confiante, torcida do Borussia requer 300 mil ingressos para último jogo

Mas estádio tem capacidade para cerca de 80 mil pessoas. Ingressos para duas próximas partidas já estão esgotados

Borussia Dortmund comemoração (Foto: Getty Images)Torcida do Borussia tem lotado o estádio nas partidas do Alemão e já está de olho no encerramento da competição, já que pode ficar com título que não alcança desde 2001/2002 (Foto: Getty Images)

Os torcedores do Borussia Dortmund, líder da Bundesliga com 62 pontos, estão mesmo confiantes na conquista do título alemão em 2011:de acordo com a imprensa alemã, mais de 300 mil fãs do clube solicitaram entradas para o último jogo da competição, contra o Eintracht Frankfurt, dia 14 de maio.

Sem vencer um Campeonato Alemão desde a temporada 2001/2002, a torcida promete lotar o estádio Signal Iduna Park, o maior da Alemanha, com capacidade para cerca de 80 mil pessoas. Mas muitos vão ficar de fora da festa, já que o clube tem 50 mil ingressos reservados para sócios, e somente 21 mil para compra após o período de requerimentos. O adversário tem direito a oito mil bilhetes.

Os ingressos das duas próximas partidas, contra o Hannover, no próximo sábado, e contra o Freiburg, dia 17 de abril, já estão esgotados. Além disso, quem quiser assistir ao jogo contra o Nuremberg, dia 30 de abril, também precisa correr: as entradas começaram a ser vendidas e já estão perto de acabar.

A euforia dos torcedores se deve à excelente campanha do Borussia na Bundesliga. A sete partidas do encerramento, o time está no topo da tabela com 62 pontos, sete de diferença para o segundo colocado: o Bayer Leverkusen. Além disso, a equipe tem a melhor defesa da competição, com apenas 16 gols sofridos, e o terceiro melhor ataque, tendo marcado 54 gols.

Fonte: http://globoesporte.globo.com

JGalvão

Após suspeita de atentado, líder Dortmund recebe o Hannover em casa

Polícia descobriu depósitos com explosivos e armas perto do estádio do Borussia. Partida está confirmada para sábado

Estádio do Borussia (Foto: AP)Estádio do Borussia, maior da Alemanha, seria alvo de atentado. Na atual temporada, tem tido ótimo público graças à campanha da equipe, líder do Alemão com 62 pontos (Foto: AP)

 

Líder, o Borussia Dortmund recebe no sábado o Hannover, terceiro colocado, na partida de destaque desta 28ª rodada do Campeonato alemão, enquanto o vice Bayer Leverkusen enfrentará o Kaiserslautern fora de casa. A partida entre Dortmund e Hannover esteve ameaçada por uma tentativa de atentado com explosivos no estádio do Borussia. Mas o Escritório Federal Criminal (BKA) da Polícia alemã conseguiu evitar o pior nesta quinta-feira.

A BKA encontrou dois depósitos de armas e explosivos, um deles nas proximidades do estádio. Mesmo assim, o técnico do Hannover descartou a possibilidade de adiar a partida.

Faltando sete rodadas para terminar a competição, a vantagem do Dortmund sobre o segundo colocado, o Bayer, caiu para sete pontos -há duas rodadas eram 12-, por isso, uma derrota do líder poderia colocar mais emoção na reta final do campeonato.

O Hannover, rival do Borussia Dortmund nesta rodada, chega à partida com planos de defender o terceiro lugar, que abre as portas para a Liga dos Campeões. Logo atrás dele, vem o Bayern de Munique, que terá pela frente o Borussia Mönchengladbach, lanterna da competição, em casa.

O Bayer Leverkusen visita, também no sábado, o Kaiserslautern, que está em plena luta contra o rebaixamento. Para o vice-líder da competição será a primeira partida após se tornar público que seu técnico, Jupp Heynckes, não renovará o contrato no fim da temporada e irá comandar o rival Bayern de Munique.

O Wolfsburg, que vem de um empate por 1 a 1 contra o Stuttgart, jogando fora de casa, enfrenta o Eintracht Frankfurt, jogando em casa, na Volkswagen Arena. O brasileiro Diego acredita em um bom resultado no domingo.

– Estamos em um momento de mudança no comando da equipe e trabalhamos muito forte durante esta semana que não tivemos jogos, em função dos jogos das seleções. Então, a expectativa é a melhor possível, pois treinamos bastante e vamos jogar em casa, contra o adversário direto nesta luta contra o rebaixamento. Esperamos sair de campo com a vitória e estamos otimistas para conseguir isto – analisou o craque Diego.

A rodada abrirá com St. Pauli e Schalke nesta sexta-feira. Será a estreia do técnico Ralf  Rangnick no banco do time de Gelsenkirchen. O ex-treinador do Hoffenheim foi apresentado oficialmente no dia 21 de março e comandará pela primeira vez a equipe que se encontra na décima colocação, com 33 pontos.

Confira os jogos da 28ª rodada do Campeonato Alemão:

Sexta-feira
St. Pauli x Schalke

Sábado
Bayern de Munique x Borussia Mönchengladbach
Werder Bremen x Stuttgart
Borussia Dortmund x Hannover
Mainz x Freiburg
Kaiserslautern x Bayer Leverkusen
Hoffenheim x Hamburgo

Domingo
Colônia x Nuremberg
Wolfsburg x Eintracht Frankfurt

 

Fonte: http://globoesporte.globo.com

JGalvão

Troféu Copa do Mundo da FIFA 2011 chega e anima as americanas

Troféu chega e anima as americanasGetty Images

Faltando menos de 90 dias para o início da Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011, o Tour de Boas-Vindas da FIFA e do Comitê Organizador Local chegou a Washington, capital dos Estados Unidos. Três das maiores jogadoras e embaixadoras da história do esporte — Mia HammKristine LillySteffi Jones— comandaram o espetáculo e falaram o que esperam do grande evento em solo alemão.

As três ex-jogadoras continuam apaixonadas pelo esporte e esperam que os seus países possam fazer bonito na maior competição do futebol feminino mundial. Além disso, elas representam o respeito mútuo que se criou entre as duas maiores forças da modalidade.

A presidente do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011, Steffi Jones, tem familiares nos EUA e jogou profissionalmente no país norte-americano. “Tenho dois corações batendo, um pela Alemanha e outro pelos Estados Unidos”, afirmou Jones, que também elogiou Mia Hamm como um exemplo de vida e destacou o sucesso do Tour de Boas-Vindas.

“Atingimos as nossas metas e mostramos que o futebol pode abrir portas para os direitos da mulher”, ressaltou Jones, enfatizando a grande importância do trabalho feito por Hamm, Lilly e outras americanas pioneiras na modalidade.

“Tive a felicidade de poder jogar e agora tenho a mesma alegria por vir aqui e fazer parte do bom trabalho de promoção da Steffi, desta turnê e da Alemanha“, disse Kristine Lilly, atleta que defendeu a seleção americana em 352 ocasiões antes de se aposentar aos 39 anos no mês de janeiro. “Toda jogadora quer disputar uma Copa do Mundo. Para mim é diferente estar do outro lado agora, mas mesmo assim será incrível. Quanto mais pessoas assistirem, mais pessoas se encantarão com o esporte.”

Mia Hamm, que conquistou dois títulos mundiais ao lado de Lilly, concordou com a compatriota. “O crescimento foi enorme desde 1991”, destacou a maior goleadora da história dos confrontos de seleções de futebol feminino, com 158 gols. “O futebol está crescendo a cada dia, e tenho a honra de fazer parte deste crescimento. Vou fazer tudo o que puder para ajudar o futebol feminino, e claramente a Alemanha está trabalhando duro na mesma direção. Tenho certeza de que o país organizará um torneio de primeira qualidade.”

Pensando em um reencontro
Alemanha e Estados Unidos cultivam uma rivalidade saudável. As americanas conquistaram duas das três primeiras edições do Mundial Feminino. Já as alemãs venceram as duas últimas. “Tenho muito respeito pelo futebol alemão, que é muito organizado e técnico”, afirmou Hamm, que fez parte do selecionado americano derrotado em casa pelas germânicas na semifinal de 2003. “Adoro o estilo de jogo delas. Elas respeitam o futebol e exigem que você jogue o máximo.”

Jones também foi só elogios às rivais americanas. “A Alemanha ainda perde na história dos confrontos com os Estados Unidos”, destacou a ex-jogadora, ocupada com a imprensa e o público norte-americanos. “Fico muito animada quando os dois países se enfrentam. Se nos encontrarmos na final, será perfeito, pois teremos duas nações tentando ganhar um terceiro troféu, mas a Copa do Mundo será excelente de qualquer maneira.”

Mesmo que AlemanhaEUA sejam duas grandes potências, o futebol feminino está cada vez mais competitivo no mundo todo, como fizeram questão de declarar os participantes da coletiva de imprensa e da recepção, que contou com a presença do secretário-geral da Federação Americana de Futebol, Dan Flynn.

“Há cada vez mais seleções de qualidade nas confederações, e isso é muito bom”, afirmou a diretora de competições femininas da FIFA, Tatjana Haenni. “Há muito movimento no mundo todo, com novas equipes emergindo, o que ficou comprovado com esta turnê”, prosseguiu, antes de destacar o êxito da modalidade nos Estados Unidos. “O futebol feminino é muito grande nos EUA, uma história de sucesso que contamos ao mundo todo, e é ótimo termos exemplos de conduta como Mia e Kristine”, concluiu.

Fonte: http://pt.fifa.com

JGalvão