Wolfsburg frustra Dortmund e fatura Copa da Alemanha

2015 Getty Images

Em sua apresentação, ainda em 2008, Jürgen Klopp prometeu levar o Borussia Dortmund “de volta ao seu lugar” com “um futebol ofensivo e agressivo”. Não dá para dizer que ele não entregou isso: mesmo em sua despedida, ainda que não com a mesma intensidade de antes, o time teve lapsos desse estilo, saiu na frente logo no início, mas acabou perdendo por 3 a 1 para o Wolfsburg na final da Copa da Alemanha, neste sábado, no estádio Olímpico, em Berlim.

Foram anos esquecíveis para o torcedor do Dortmund.

Imagem

O adeus não ficou restrito a Klopp, mas também a Kehl, que se aposenta dos gramados, e Gündogan, que não renovou o seu contrato.

Em uma temporada em que os Aurinegros não conseguiram sequer a classificação direta para a Liga Europa, o título da Copa da Alemanha poderia ser uma despedida à altura de tudo que Klopp faturou ao longo de seu reinado.

E dava toda a pinta de que seria assim.

Logo aos cinco minutos, Kagawa cruzou da direita, o brasileiro Naldo falhou e Aubameyang, sozinho, chutou cruzando para abrir o placar. O gabonês chegou ao seu 25º gol em 2015/16. Ele participou ao todo de 36 nos últimos doze meses.

O Dortmund não poderia ter assegurado melhor substituto para o polonês Lewandowski.

O Wolfsburg tratou de mostrar, no entanto, que também vinha para a briga.

O time, que se sagrou vice-campeão da Bundesliga, quase arrancou o empate em seguida, em combinação de Dost para Perisic que Langerak salvou em excelente defesa.

A pressão era grande e Subotic e companhia não conseguiram segurar. Em forte chute de Naldo em cobrança de falta, Langerak espalmou para o meio da área e o volante Luiz Gustavo, convocado para a Copa América, completou para deixar igual aos 21 minutos.

A virada do Wolfsburg veio pouco depois.

Um dos destaques da temporada no futebol alemão, o belga Kevin De Bruyne arriscou de fora da área com o pé direito, a bola passou entre as pernas de Hummels e Langerak aceitou aos 32 minutos. Mais um na conta impressionante do ex-meio-campista do Chelsea: foram 16 gols e 27 assistências da sensação de 23 anos.

Ele está próximo de renovar o seu contrato até 2020.

Ainda deu tempo do matador holandês Bas Dost aproveitar cruzamento da direita e cabecear para o fundo das redes para ampliar aos 37.

Aubameyang teve a chance de fazer outro em jogada de Kagawa, mas mandou para fora e ficou nisso antes da ida para o intervalo.

Na volta dos vestiários, aos três minutos, em lance de De Bruyne, Caligiuri teve a chance de transformar o resultado em goleada, saiu na cara do gol e desperdiçou oportunidade incrível ao tentar bater no canto. A resposta do Dortmund foi imediata: Kagawa se esticou para esticar para completar cruzamento e viu a bola bater na trave.

Imagem

Sebastian Kehl em sua última partida oficial como jogador

Langerak voltou a fazer milagre aos 20, em nova chance de Caligiuri, e praticamente não foi mais exigido até o apito final para a festa do Wolfsburg, que fatura o seu primeiro título da história na competição – finalista em 1995, perdeu de 3 a 0 para o Borussia Mönchengladbach na ocasião.

Com o resultado, o Dortmund terá de passar pela fase de qualificação para chegar à fase de grupos da Liga Europa na próxima temporada.

Luiz Gustavo comemora título do Wolfsburg (Foto: Ina Fassbender/Reuters)

FICHA TÉCNICA:
BORUSSIA DORTMUND 1 x 3 WOLFSBURG

Local: Estádio Olímpico de Berlim, em Berlim (ALE)
Data: 30 de maio de 2015, sábado
Horário: 15h00 (de Brasília)
Árbitro: Felix Brych (ALE)
Assistentes: Mark Borsch (ALE) e Stefan Lupp (ALE)
Cartões amarelos: Schmelzer e Mkhitaryan (Borussia Dortmund), De Bruyne e Vieirinha (Wolfsburg)
GOLS
BORUSSIA DORTMUND: Aubameyang, aos 5 minutos do primeiro tempo
WOLFSBURG: Luiz Gustavo, aos 22, De Bruyne, aos 33, e Bas Dost, aos 38 do primeiro tempo

BORUSSIA DORTMUND: Langerak; Durm (Blaszczykowski), Subotic, Hummels e Schmelzer; Gundogan, Kehl (Piszczek) e Mkhitaryan; Kagawa, Reus (Immobile) e Aubameyang
Técnico: Jurgen Klopp

WOLSFBURG: Diego Benaglio; Naldo, Timm Klose, Ricardo Rodriguez e Vieirinha; Arnold (Schurrle), Luiz Gustavo, Caligiuri (Trasch), De Bruyne e Perisic (Guilavogui); Bas Dost
Técnico: Dieter Hecking

Fonte: http://espn.uol.com.br/

São Paulo – Brasil – 21:23

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: