Ele ganhou a Copa, brigou na rua e ficou sem clube; agora pede para treinar com time B para manter a forma

Großkreutz foi bicampeão da Bundesliga com seu clube de coração
Großkreutz foi bicampeão da Bundesliga com seu clube de coração

Ele saiu das arquibancadas do Signal Iduna Park para conquistar o mundo e agora, em meio a um inferno astral, quer voltar para casa.

Nascido em Dortmund, Kevin Großkreutz atingiu o sonho de qualquer jogador: ganhar a Copa do Mundo. Além disso, conseguiu outra meta pessoal no futebol: defender seu clube de coração. No caso dele, o Borussia.

“Dortmund era e continua a ser minha vida. Meu pai e eu fomos a todos os lugares pelos jogos, a Milão, Roterdã… Dortmund é igualmente importante para minha família. Eu tinha quatro anos na primeira vez que fui ao estádio”, contou o atleta ao site Deutsche Welle em 2011.

Depois de ter passado por equipes da cidade quando criança e adolescente, inclusive o próprio Borussia Dortmund, ele se profissionalizou pelo Rot Weiss Ahlen. Em 2009, viria a grande chance de voltar ao clube que o ensinou a amar futebol. E pelo elenco principal.

Seja pela paixão ao seu time ou não, Großkreutz se apresentou à elite do futebol alemão como um atleta raçudo. Atacante pelo lado do campo de origem, ele foi meio-campista, virou lateral e até como goleiro já atuou. O importante era estar em campo. E com tamanha determinação ele sempre esteve dentro das quatro linhas.

Assim, o versátil atleta virou titular logo em sua primeira temporada e foi peça importante nas conquistas do bicampeonato alemão (2011 e 2012), da Copa da Alemanha (2012) e do vice da UEFA Champions League (2013).

Titular absoluto na temporada 2013-14 (a última antes do quarto título dos alemães na Copa), ele foi convocado por Joachim Löw e, embora não tenha atuado um minuto sequer no Mundial de 2014, fez parte do elenco campeão

Desde então, tudo mudou na vida de Großkreutz, que só atuou 23 vezes na campanha seguinte devido a lesões.

Torcedor mostra apoio a Großkreutz durante Dortmund x Leverkusen
Torcedor mostra apoio a Großkreutz durante Dortmund x Leverkusen

Na sequência, foi liberado pelo então novo treinador do Dortmund, Thomas Tuchel, e se transferiu para o Galatasaray por 1,5 milhão de euros no começo de setembro de 2015. Até aí, nada demais. Apenas a chance de um recomeço, não fosse um problema em sua ida ao novo time.

A FIFA não autorizou o negócio sob a justificativa de que o clube turco não preencheu todos os requisitos formais para a concretização da transferência antes do fechamento da janela. Assim, ele foi para Istambul, mas não pôde atuar até a reabertura do mercado em janeiro de 2016.

Quando chegou o momento de, enfim, entrar em campo pelo Galatasaray, o meio-campista foi negociado por 2,17 milhões de euros com o Stuttgart, que lutava contra o rebaixamento para a segunda divisão do Campeonato Alemão.

Großkreutz era reserva no elenco campeão mundial em 2014
Großkreutz era reserva no elenco campeão mundial em 2014

Titular na lateral direita em dez dos 17 jogos do segundo turno da Bundesliga, ele perdeu as outras sete partidas por lesão e não conseguiu evitar que a tradicional equipe caísse depois de 40 anos. A tensão pela queda já havia sido sentida pouco antes de ela se concretizar, sendo que torcedores do Stuttgart invadiram o campo após uma derrota para o Mainz 05 por 3 a 1, em casa, e assustaram alguns atletas. Parte dos jogadores foram conversar com os fãs, como foi o caso de Großkreutz, que, posteriormente, desceu ao vestiário chorando.

A situação melhorou na atual temporada, na qual o atleta seguia como titular do Stuttgart – disputou a maior parte dos jogos na lateral -, tendo ajudado o time a ocupar a liderança da segunda divisão no momento.

Porém, no fim de fevereiro, o ex-jogador do Borussia Dortmund apareceu em destaque por conta de um episódio negativo. Na madrugada de segunda para terça-feira, Großkreutz se envolveu em uma briga entre dois grupos, na saída de uma boate, e acabou hospitalizado após ter recebido um soco na cabeça, conforme informou a polícia.

Großkreutz, um 'rapaz de Dortmund', deixou o clube em setembro de 2015
Großkreutz, um ‘rapaz de Dortmund’, deixou o clube em setembro de 2015

“Não quero nada que tenha a ver com futebol”, afirmou o campeão do mundo.

Um período difícil representa para muitos o momento de retornar a casa. E é o que jogador de 28 anos quer.

Conforme informou o jornal alemão Bild, Großkreutz deseja treinar com o segundo time do Borussia Dortmund para manter a forma.

Pouco depois da rescisão do atleta com o Stuttgart, o Dortmund já havia manifestado carinho ao seu ex-jogador por meio do Twitter. “Erros são uma coisa, ter responsabilidade é outra. Nós desejamos a você e a sua família, Kevin Großkreutz, força e paz”.

E, ao que parece, ele tem o apoio dos torcedores. Em uma enquete realizada no Bild, 83% foi a favor de deixar o lateral treinar com a segunda equipe. Além disso, na goleada do Dortmund por 6 a 2 sobre o Leverkusen, torcedores manifestaram seu apoio a Großkreutz.

Talvez seja o momento de voltar para onde tudo começou.

Fonte:      http://espn.uol.com.br

São Paulo – Brasil – 01:29

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil:  ‏@Batom_efutebol

Follow the Batom and Futebol on Twitter, home of German Football in Brazil:  ‏@Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Por Josy Galvão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: