Archive for the ‘Copa do Mundo 2018’ Category

Federação Alemã comemora os 11 anos de Joachim Löw no comando da Seleção

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado, carro e área interna

Quem acompanha o futebol mundial sabe que Joachim Löw se encaixa na lista dos melhores técnicos de futebol do mundo. No comando da Seleção Campeã do Mundo, o treinador alemão não é badalado, mas também não é questionado em seu trabalho e no cargo que ocupa.

Löw era treinador da Bundesliga e passou a ter maior visibilidade quando conquistou o título da Copa da Alemanha de 1997 com o Stuttgart. Na preparação para a Copa do Mundo de 2006, sediada pela Alemanha, aceitou o convite do técnico Jürgen Klinsmann para ser seu auxiliar na Seleção Alemã e acabou assumindo o comando da mesma, com a saída de Klinsmann ao término do Mundial. A Alemanha terminou em terceiro lugar ao vencer a Seleção de Portugal.

Desde então, Löw tem conduzido a Seleção Nacional de forma brilhante, levando a equipe quase sempre as semifinais de todas as competições que disputou. Alcançou o 2º lugar na Eurocopa de 2008, 3º na Copa do Mundo de 2010, 3º na Eurocopa de 2012, conquistou o Tetracampeonato no Brasil em 2014 e o 3º lugar na Eurocopa de 2016. O seu último feito foi a conquista da Copa das Confederações 2017, na Rússia, apostando em uma equipe extremamente jovem. Além de vir conduzindo a equipe com maestria nas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2018. Assim, com muito trabalho e dedicação 11 anos se passaram.

Este é um grande feito para o técnico de 57 anos e realmente merece ser comemorado, principalmente pela trajetória dos treinadores no comando da Mannschaft. 

Desde 1926 quando a Seleção Alemã  passou a ter um profissional com dedicação exclusiva, apenas 10 profissionais passaram pelo cargo, com uma média de nove anos de trabalho para cada profissional. Joachim Löw já ultrapassou esta média e se cumprir o seu atual contrato que tem como prazo final o ano  de 2020, o técnico ficará 14 anos a frente da seleção e será o comandante mais longevo da história e com o maior número de partidas disputadas.

Hoje a DFB – Federação Alemã de Futebol, comemorou e agradeceu em suas redes sociais, o trabalho e dedicação do técnico ao longo destes 11 anos.

🥈🥉🏆🏆

Thank you for 11 wonderful years so far, Joachim Löw! 🙏 #DieMannschaft

O Batom e Futebol parabeniza Joachim Löw pelo belo trabalho desenvolvido e espera poder continuar acompanhando por muitos e muitos anos, o maravilhoso espetáculo conduzido por ele e sua equipe!

Danke, Joachim Löw, Herzlichen Glückwunsch und alles Gute!

 

 

São Paulo – Brasil – 23:50

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Por Josy Galvão

Opinião: Alemanha não produz jogadores de “time B”

Conquista da Copa das Confederações e do Europeu sub-21 são resultados de anos de trabalho fora dos gramados, inexistente em várias potências do futebol mundial, opina Ross Dunbar.

Alemanha vence Copa das Confederações na Rússia sem a maioria de seus principais jogadores Alemanha vence Copa das Confederações na Rússia sem a maioria de seus principais jogadores

O futebol alemão vive um momento de glória após vencer dois torneios internacionais em 48 horas. Essas vitórias, porém, já vinham sendo trabalhadas há muito tempo.

A Copa das Confederações foi erguida em São Petersburgo neste domingo, após a vitória de 1 a 0 sobre o Chile, enquanto na sexta-feira, a equipe alemã sub-21, cheia de estrelas, venceu o Europeu da categoria, derrotando a excelente Espanha pelo mesmo placar.

E ainda poderá vir mais. O sub-19 começou na última segunda-feira a disputa pelo Campeonato Europeu, enquanto a seleção feminina iniciará no final do mês a busca pelo sétimo título europeu seguido. A Alemanha também enviou uma equipe forte para a Copa do Mundo sub-20, que acabou sendo vencida pela Inglaterra.

A impressão é que, apesar das impressionantes seleções de todas as partes do mundo, os campeões mundiais vinham treinando uma equipe reserva no mais alto nível.

Manuel Neuer, Mats Hummels, Jérôme Boateng, Leroy Sané, Mesut Özil, Toni Kroos, Thomas Müller e outros receberam uma merecida folga neste verão europeu, enquanto o técnico Joachim Löw promovia mudanças para o torneio na Rússia.

A maioria destes jogadores estava no centro da campanha vitoriosa na Copa do Mundo de 2014 e é inquestionável que a maior parte deles ainda será protagonista em 2018, na cabeça de Löw. Mas, seria tolo afirmar que eles são os únicos jogadores alemães de padrão internacional.

Löw não precisou vasculhar as profundezas do futebol alemão para encontrar um time para a Copa das Confederações. Os 11 titulares que jogaram a final tinham média de idade de 24 anos, ou seja, longe de serem adolescentes.

Os 11 da seleção alemã vitoriosa somam 193 aparições em partidas de seleção, totalizando entre eles mais de 2 mil jogos em times de ponta em algumas das principais ligas da Europa.

Jonas Hector e Joshua Kimmich têm sido as primeiras escolhas de Löw para as laterais desde a Eurocopa de 2016. Julian Draxler, vencedor da Bola de Ouro como o melhor jogador do torneio na Rússia, possui experiência de alto nível em um punhado de clubes diferentes.

O vencedor da Chuteira de Ouro do torneio, Timo Werner, marcou 21 gols na última temporada da Bundesliga, o campeonato alemão, pelo RB Leipzig, que estará na próxima Liga dos Campeões da Europa após terminar a competição em segundo lugar.

Leon Goretzka e Lars Stindl tiveram temporadas excepcionais na Bundesliga. O goleiro Marc-André ter Stegen defende o Barcelona, enquanto Sebastian Rudy e Niklas Süle, que ajudaram o Hoffenheim a chegar em quarto lugar na Bundesliga, jogarão pelo Bayern de Munique na próxima temporada. Nenhum destes jogadores chega a ser um novato, nem mesmo algo próximo disso.

Mas, nada disso pode ser definido como apenas sorte. A Federação Alemã de Futebol (DFB) merece aplausos por investir nas categorias de base. O programa de desenvolvimento dos jovens jogadores alemães foi transformado e relançado em 2013 com a visão estratégica de aumentar os padrões profissionais e trazer uniformidade a todas as federações regionais da Alemanha.

As academias de futebol devem seguir padrões rigorosos estabelecidos pela DFB e consultores externos. Na temporada 2015-16, os clubes alemães investiram mais de 150 milhões de euros em seus departamentos para o desenvolvimento de jovens atletas.

Para a nação mais robusta da Europa, com uma população de 81 milhões de habitantes, dar impulso a um bom número de profissionais bem treinados e de grande talento não chega a ser um feito extraordinário. A atual fartura de jogadores de alto nível é uma recompensa do planejamento racional em longo prazo, inexistente em várias das outras principais potências do futebol mundial.  

Considerar a equipe vencedora da Copa das Confederações como um time “B” seria um desrespeito com tudo o que os alemães conquistaram na última década.

A Alemanha não produz jogadores “B”, mas sim, vencedores. Essa tendência já está estabelecida e continuará ainda pelos próximos anos. 

Ross Dunbar, da redação de esportes da DWPor Ross Dunbar, da redação de esportes da DW

 

Matéria originalmente publicada por:   http://www.dw.com/pt-br

São Paulo – Brasil – 01:05

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

Podolski analisa base da Alemanha e brinca: “Difícil para o técnico”

Podolski disse confiar na nova geração da Alemanha (Foto: Christian Gaier/Divulgação Podolski)

Podolski disse confiar na nova geração da Alemanha (Foto: Christian Gaier/Divulgação Podolski)

 

Lukas Podolski disputou três Copas do Mundo. Na primeira, em 2006, em casa, foi eleito o melhor jogador jovem. Na última, experiente, conquistou o título, além da simpatia de milhares de brasileiros com seus posts bem humorados em português. Em 2017, fez sua última aparição com a camisa da Alemanha. Ficaram as lembranças e a identificação com a camisa. O atacante também não parece muito preocupado com o futuro da seleção do país. Em entrevista ele disse confiar na base.

Os alemães foram vice-campeões olímpicos, perdendo o ouro para o Brasil de Neymar, no Rio. Na última sexta-feira, bateram a Espanha na decisão da Eurocopa sub-21. No domingo, com um time que provou uma renovação eficiente, foram campeões da Copa das Confederações vencendo o Chile por 1 a 0. O meia Draxler, de 23 anos, foi eleito o melhor do torneio, enquanto o atacante Timo Werner, de 21, foi o artilheiro (título que nenhum outro alemão havia conquistado neste torneio). Segundo Podolski, quem vai ter dor de cabeça é o técnico Joachim Löw.

“Eu ficarei feliz de ver os jogos da Copa. Eu joguei muitos torneios, Copas do Mundo, Eurocopas… Em um ponto, você tem que parar. E você sabe, temos ótimos jogadores. Isso é bom para o nosso time, mas é difícil para o técnico, porque ele tem muitas escolhas. É difícil escolher 23 jogadores para a Copa do Mundo “,analisa.

O atacante disse acompanhar com atenção o desenvolvimento do futebol nos clubes e nas seleções, e lembra que mesmo com os bons resultados da Alemanha, especialmente no fim de semana, outros jovens devem despontar em outros países. 

“Acho que temos um grande futuro, conquistamos o Sub-21, Copa das Confederações. Mas outros países também (têm elencos promissores). A Inglaterra é boa, a Espanha é boa… Então, não é só a Alemanha, mas é bom ter um time forte na base”.

Podolski brilhou com a camisa alemã e conquistou o título mundial de 2014 (Foto: Reuters)

Podolski brilhou com a camisa alemã e conquistou o título mundial de 2014 (Foto: Reuters)

 

Podolski disse ainda que o tempo voou desde a Copa de 2014. Mas a conquista nunca vai sair da memória.

“Passou muito rápido, muito rápido”, enfatiza o atacante.

 

 

Matéria originalmente publicada por:    http://globoesporte.globo.com

São Paulo – Brasil – 00:32

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

Alemanha prioriza evolução de novatos e espera ter 2 ou 3 na Copa

 Ex-atacante Oliver Bierhoff  é o diretor esportivo da Alemanha (Foto: Ivan Raupp)

Ex-atacante Oliver Bierhoff é o diretor esportivo da Alemanha (Foto: Ivan Raupp)

 

A Alemanha desembarcou nesta semana na Rússia com um grupo jovem para a disputa da Copa das Confederações. A média de idade é de apenas 23 anos. Seis dos 23 convocados são estreantes: Stindl (Borussia Mönchengladbach), Plattenhardt (Hertha Berlin), Younes (Ajax), Demme (RB Leipzig), Demirbay (Hoffenheim) e Sandro Wagner (Hoffenheim). Apenas três estiveram na última Copa do Mundo (Draxler, Mustafi e Ginter), e sete na Eurocopa de 2016 (Ter Stegen, Leno, Jonas Hector, Kimmich e Emre Can, além de Draxler e Mustafi).

Enquanto isso, as maiores estrelas do país, como Özil, Müller e Neuer, foram poupadas da competição. Diretor esportivo da seleção alemã, o ex-atacante Oliver Bierhoff participou de uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira em Sochi e foi questionado pelo GloboEsporte.com sobre o tema.

– Nossa meta principal é vencer a Copa do Mundo em 2018. Temos muitos jogadores que disputaram a última Copa do Mundo, a Eurocopa da França, a Liga dos Campeões. Acreditamos que, para tornar o time melhor e fazer com que ele cresça, temos que dar um pouco de espaço e descanso para esses jogadores. E também dar oportunidade a jovens, como esses dois ao meu lado (Joshua Kimmich e Julian Brandt), para que eles se conheçam melhor e dar-lhes experiência internacional. Esta é uma ótima oportunidade para todos eles crescerem pessoalmente e também como time. Temos certeza de que, a longo prazo, a equipe terá sucesso com isso se desenvolvermos os jogadores nesses torneios – justificou.

Bierhoff tentou tirar um pouco da responsabilidade desse jovem time ao dizer que a prioridade não é a conquista do título. E analisou o aproveitamento que espera ter dos novatos de olho no Mundial do ano que vem, também na Rússia. 

– Não podemos nos fixar em números, não sabemos quantos desses jogadores estarão na Copa do Mundo no ano que vem, espero que muitos, mas depende dos que estão em casa descansando. Sabemos que eles vão evoluir e tirar proveito dessa experiência. O torneio não terá sido um sucesso só se formos campeões, mas também se conseguirmos desenvolver vários jogadores. Aí, quando eles forem para casa, dirão que foi uma boa experiência. Espero que possamos ter dois ou três jogadores que poderão nos ajudar na Copa do Mundo do ano que vem.

 

Kimmich e Julian Brandt são apostas na seleção da Alemanha (Foto: Ivan Raupp)

Kimmich e Julian Brandt são apostas na seleção da Alemanha (Foto: Ivan Raupp)

 

O lateral/volante Kimmich, do Bayern de Munique, e o meia-atacante Brandt, do Bayer Leverkusen, também estiveram na coletiva. Kimmich respondeu sobre as comparações com o ídolo alemão Philipp Lahm, que se aposentou ao fim desta temporada.

– Jogamos juntos no Bayern, e somos da mesma posição. Ele é um grande jogador, dá o máximo no campo. Mas cada jogador tem sua própria carreira e quer ser o melhor de si mesmo.

O atleta do Bayern ainda brincou em relação à visita de uma escolinha de futebol de Sochi ao treino da Alemanha na quinta e arrancou risos dos jornalistas presentes. 

– Claro que não entendo russo, mas conheci algumas palavras, e essas palavras não podem ser ditas aqui na coletiva.

A estreia alemã na Copa das Confederações é contra a Austrália, na próxima segunda-feira, às 12h (de Brasília), no Estádio Olímpico de Sochi.

 

 

Matéria originalmente publicada por:   http://globoesporte.globo.com

São Paulo – Brasil – 01:30

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

Alemanha desembarca em Sochi para a Copa das Confederações

Com Löw inquieto, forte segurança e sem papo, Alemanha desembarca em Sochi

Sob forte esquema de segurança, a seleção alemã desembarcou em Sochi por volta das 8h (de Brasília, 14h no horário local) desta quinta-feira para a disputa da Copa das Confederações. A delegação chegou ao aeroporto sem atender os jornalistas presentes e foi direto para o ônibus que a levou ao hotel onde está hospedada.

Chamou atenção a inquietude do técnico Joachim Löw. O comandante se mostrou agitado para que o veículo partisse logo. Entrou, sentou-se, roeu as unhas, deixou o assento, saiu para apressar a comissão técnica e até mexeu no volante quando o motorista não estava no local. 

Forte esquema de segurança para a chegada da Alemanha em Sochi (Foto: Ivan Raupp)

Forte esquema de segurança para a chegada da Alemanha em Sochi (Foto: Ivan Raupp)

 

A estreia é contra a Austrália, na próxima segunda-feira, no Estádio Olímpico de Sochi, às 12h (de Brasília) Na terceira rodada da fase de grupos, volta a jogar na cidade contra Camarões. E se avançar às semifinais como primeiro do Grupo B, o time jogará uma terceira vez no estádio, contra o segundo do A.

Entre os 23 jogadores convocados para a Copa das Confederações, apenas três estiveram na última Copa do Mundo: os zagueiros Mustafi (Arsenal), Ginter (Borussia Dortmund) e o meia-atacante Draxler (Paris Saint-Germain). Outro destaque é o goleiro Ter Stegen, do Barcelona. O mesmo Ginter defendeu a Alemanha na Olimpíada do Rio de Janeiro – foram vice-campeões, perdendo a final para o Brasil -, além de Süle (Hoffenheim), Goretzka (Schalke 04) e Brandt (Bayer Leverkusen). A média de idade do grupo é bem baixa: 23 anos, com nenhum jogador na casa dos 30. Os principais nomes, como Müller, Neuer, Boateng, Kroos, Hummels e Özil, foram poupados.

Técnico Joachin Löw, com o diretor e ex-jogador Bierhoff ao lado (Foto: Ivan Raupp)

Técnico Joachin Löw e na poltrona ao lado o diretor e ex-jogador Bierhoff  (Foto: Ivan Raupp)

 

Matéria originalmente publicada por:   http://globoesporte.globo.com

São Paulo – Brasil – 00:50

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

Alemanha quebra tabu de 57 anos e goleia San Marino por 7 a 0

Grupo C: Alemanha 'cilindra' São Marino

Foto: Reuters

 

A Alemanha não encontrou nenhuma dificuldade ao enfrentar San Marino, na tarde deste sábado e goleou os visitantes por 7 a 0, no estádio Grundig, em Nuremberg, pela sexta rodada das eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. O diferencial da partida ficou por conta da queda de um tabu.

Foi a primeira vez em 57 anos que os 11 titulares da partida pertenciam a 11 clubes diferentes. Desde 1960 que isso não acontecia. Nos últimos anos Bayern de Munique e Borussia Dortmund eram as equipes com maior número de jogadores.

O fim do tabu só foi possível porque o técnico Joachim Löw veio para o confronto com uma equipe totalmente renovada. Apenas três campeões mundias em 2014 estavam presentes no grupo, Matthias Ginter, Julian Draxler e Shkodran Mustafi.

A Alemanha foi para a partida com uma equipe extremamente jovem e contou com Lars Stindl, do M’Gladbach, Marvin Plattenhardt, do Hertha Berlin, Amin Younes, do Ajax, Diego Demme, do RB Leipzig, Kerem Demirbay e Sandro Wagner, estes do Hoffenheim.

Os gols:

Draxler abriu o marcador, aos 11 minutos, Sandro Wagner marcou, aos 16′, 29′, Younes, aos 37′. Após o intervalo, Mustafi  ampliou a vantagem alemã aos 47′ minutos, Brandt foi o autor do sexto gol (72′) e Sandro Wagner fez o hat trick aos 85′.

Como já anunciado anteriormente, esta será a equipe que representará a Alemanha na Copa das Confederações, na Russia. A Alemanha fará a sua primeira partida contra a Austrália, dia 19 de junho, em Sochi. Ao final do post, confira os jogos da Copa Das Confederações.

A goleada da Alemanha não alterou a situação do Grupo C  para as eliminatórias do Mundial de 2018. Os alemães seguem na liderança com 100% de aproveitamento ( 18 pontos). San Marino se mantém na lanterna sem nenhum ponto e com seis derrotas (já são 28 gols sofridos).

Veja os melhores momentos da partida!

Jogos da Copa das Confederações:

 

São Paulo – Brasil – 23:43

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

 

 

 

Cristiano Ronaldo pode bater recorde e ser vendido por R$660 milhões

Resultado de imagem para cristiano ronaldo Champions

O Real Madrid estaria prestes a receber uma proposta de 180 milhões de euros (cerca de R$ 664,5 milhões) para negociar o atacante português Cristiano Ronaldo, informou o jornal “A Bola”.   

De acordo com a publicação, Manchester United, Paris Saint-Germain (PSG) e Mônaco estariam dispostos a desembolsar a quantia recorde. Além disso, clubes chineses também se demonstraram interessados em pagar o valor astronômico pelo português.   

Ao desembarcar na Letônia, onde Portugal joga uma partida das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018, Cristiano afirmou que “nada é impossível” sobre uma transferência do clube merengue.   

CR7, que está com 32 anos, tem contrato com o Real Madrid até 2021 e acabou de ter mais um ano de conquistas, com os títulos do Campeonato Espanhol e da Liga dos Campeões da Europa – onde terminou como artilheiro pela sexta vez consecutiva.  

 

Matéria originalmente publicada por:   http://istoe.com.br

São Paulo – Brasil – 20:53

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão