O diretor da Federação Alemã de Futebol Oliver Bierhoff, saiu em defesa esta segunda-feira da dupla alemã Ilkay Gundogan e Emre Can, mas admitiu que “cometeram um erro” ao colocarem ‘Like’ numa publicação com a foto de futebolistas turcos fazendo uma saudação militar enquanto celebravam um gol.

Gundogan e Can, que têm raízes turcas, envolveram-se em polêmica, depois de colocarem ‘um Like’ numa publicação de Cenk Tosun, o marcador do gol da vitória, publicou a fotografia dos jogadores turcos celebrando o gol frente à Albânia na última sexta-feira, com uma saudação militar. e escreveu: “Pela nossa nação e principalmente por aqueles que arriscam a vida pelo nosso país”.

A publicação foi vista como uma declaração de apoio à ofensiva militar turca na Síria, mas os jogadores alemães retiraram rapidamente o ‘Like’ e emitiram um pedido de desculpas.

Bierhoff, diretor da federação, disse ao site da Federação Alemã de Futebol que ele e o técnico Joachin Löw falaram com ambos os jogadores que “sabem que foi um erro”.

“Eles são modelos, milhares seguem eles nas redes sociais. Eles têm de ter noção da grande responsabilidade e do impacto que o que dizem e o que fazem pode ter. Ambos falaram aos jornalistas depois do jogo. Garantiram-nos que não queriam fazer uma declaração politica. Confiamos na sua justificativa de que não teriam qualquer intenção politica”, afirmou.

A Federação Alemã de Futebol – DFB publicou uma imagem nesta segunda-feira da equipe sênior com a descrição “contra todas as formas de violência e discriminação”.

Bierhoff disse que o plantel alemão queria apoiar a dupla, que revelou estar “em baixo” devido ao incidente do Instagram, depois da vitória por 3-0 contra a Estónia em Tallinn, no último domingo, pela qualificação para o Eurocopa 2020.

Gundogan marcou dois gols no segundo tempo do jogo, mas Can foi expulso aos 14 minutos – a expulsão mais rápida de um jogador alemão na história.

“Qualquer pessoa que conheça os jogadores sabe que ambos são contra o terror e a guerra. Eles deixaram bem claro que não foi uma ação política”, disse Löw depois do jogo.