Posts Tagged ‘Copas do Mundo’

Futebol Alemão – Klose não rejeita voltar a jogar pela Alemanha

Klose foi algoz do Brasil na Copa do Mundo

O maior artilheiro da história das Copas do Mundo com 16 gols, Miroslav Klose, tem um lugar especial para a Copa do Mundo de 2014 em sua memória e no seu coração. Além de quebrar o recorde no Mundial disputado no Brasil, o atacante conquistou o tetra pela Alemanha e participou do histórico 7 a 1 sobre a Seleção Brasileira em pleno Mineirão nas semifinais.

Durante aquele jogo, todos ficaram atônitos com a velocidade com que aconteciam os gols alemães, que mais pareciam replays em alta velocidade. No entanto, o camisa 11 germânico nem percebeu que os tentos saíram num curto espaço de tempo.

Alemanha impôs ao Brasil a melhor humilhação de sua história futebolística (Foto: Imago)

“Não é todo dia que se marca quatro gols em seis minutos. Para os brasileiros foi um choque. Depois de cada gol, eles diziam: “O que aconteceu de novo? O que não funcionou?”. E recuperando a bola novamente e novamente marcamos… eles não tinham tempo para respirar. Isso também foi tão rápido que ficamos sabendo somente depois que tínhamos marcado quatro gols em seis minutos. Eu pensei que era muito mais tempo decorrido”, disse ao L’Équipe.

Depois da Copa, Klose se aposentou da seleção alemã. No entanto, agora, quase um ano após o tetracampeonato, ele afirma que pode voltar.

“Falei com o treinador (Joachim Löw) há algumas semanas (sobre voltar a jogar pela Alemanha). Por enquanto, não falo sobre o meu regresso, mas para o futuro nunca diga nunca”, comentou.

Fonte:   http://www.goal.com/

São Paulo – Brasil – 22:59

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

XXII de novembro, parabéns, Torsten Frings

1257126410001_f

22/11 — Torsten Frings (38) participou de duas Copas do Mundo com a Alemanha: Coreia/Japão 2002, quando foi vice-campeão; e Alemanha 2006, quando ficou com a terceira colocação. No meio tempo, disputou a Copa das Confederações da FIFA e chegou na terceira posição. Em nível continental, esteve presente na Euro 2004 e ficou com o vice em 2008. Passou quase toda a carreira em clubes do futebol alemão, a começar pelo Alemannia Aachen. Já com o Werder Bremen, conquistou duas Copas da Alemanha e uma Copa da Liga. Após passagem pelo Borussia Dortmund, o polivalente meio-campista assinou com o Bayern de Munique e acrescentou ao currículo os títulos do Campeonato Alemão, da Copa da Alemanha e da Copa da Liga. Frings penduraria as chuteiras com a camisa do Toronto, mas só depois de conquistar o Campeonato Canadense. Iniciou a carreira de treinador nas categorias de base do Werder Bremen e, já em 2014, foi promovido para a comissão técnica da equipe principal.

A equipe do Batom e Futebol deseja muitas felicidades e muito sucesso para Torsten Frings nesta nova etapa de sua vida.

Herzlichen Glückwunsch und die besten Wünsche, Kapitän!

Happy Birthday!

Feliz Cumpleaños!

Feliz Aniversário!

 

São Paulo – Brasil –  19:22

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  ‏@Batom_efutebol

Por Josy Galvão

Beckenbauer nega envolvimento em possível caso de compra de votos na FIFA

Franz Beckenbauer negou envolvimento em caso de corrupção da Fifa
Franz Beckenbauer negou envolvimento em caso de corrupção da FIFA

Franz Beckenbauer negou veementemente que esteja envolvido no possível caso de corrupção da escolha da Rússia e do Catar como sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. Durante um evento em Londres, ele respondeu à uma pergunta sobre seu eventual envolvimento no caso.

“Absolutamente não! Ninguém me procurou, ninguém me ofereceu coisa alguma no sentido de influenciar o meu voto. Não aconteceu absolutamente nada comigo neste sentido.”

O “Kaiser”, ao mesmo tempo, deu todo o apoio para que o relatório de Michael J. Garcia da Comissão de Ética da FIFA sobre casos de corrupção, seja imediatamente divulgado: “Não vejo motivo para que este relatório não seja tornado público. “A FIFA decidiu não divulgar o relatório logo depois de uma reunião do seu Comitê Executivo no mês de setembro.

Sobre este procedimento da FIFA, Beckenbauer comentou: “Foi uma decisão da FIFA, eu pessoalmente entendo que se não tenho nada a esconder, não há o que temer. Portanto, é perfeitamente possível publicar o relatório.”

O “Kaiser” foi membro do Comitê Executivo em 2010 quando surpreendentemente Rússia e Catar foram escolhidos como sedes para as Copas do Mundo de 2018 e 2022, respectivamente. Já naquela época, à boca pequena, falava-se sobre casos de corrupção no âmbito da FIFA. Desde então, sempre houve boatos sobre membros do comitê executivo que teriam sido subornados para votarem a favor do Catar (2022) e da Russia (2018) como sedes das respectivas Copas do Mundo.

Fonte: http://espn.uol.com.br/

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil:  ‏@Batom_efutebol

Follow the Batom and Futebol on Twitter, home of German Football in Brazil:  ‏@Batom_efutebol

São Paulo – Brasil – 22:24

Josy Galvão

Klose quer ser técnico e fazer estágio com Guardiola

O maior artilheiro de Copas do Mundo, Miroslav Klose (depois do gol contra o Brasil), após encerrar sua carreira como jogador, pretende ser técnico de futebol e fazer um estágio no Bayern Munique com Pep Guardiola: “Um estágio com o Pep seria um presente do céu” declarou o campeão mundial de 36 anos ao jornal “Sport Bild”.

Klose deve ainda jogar dois anos pela Lazio e logo em seguida fazer um curso de técnico de futebol. O atacante espera que, a exemplo do que aconteceu com outros jogadores da seleção alemã, a Federação lhe conceda a possibilidade de fazer um curso intensivo de aproximadamente seis meses acrescentado de um estágio prático para que possa logo iniciar a sua nova carreira como treinador.

Miroslav Klose vestiu a camisa da “Nationalelf” em 137 oportunidades tendo marcado 71 gols. É o maior artilheiro da História da seleção alemã.

Fonte: http://www.bundesliga.com.br/

São Paulo – Brasil – 23:25

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

Miroslav Klose se despede da seleção alemã

Maior artilheiro da história das Copas, o atacante Miroslav Klose, de 36 anos, anunciou nesta segunda-feira (11/08) que não atuará mais pela Alemanha. Ele é o segundo jogador a comunicar seu desligamento da seleção desde o título mundial no Brasil – o capitão Philipp Lahm foi o primeiro.

Klose fez 137 partidas com a camisa da seleção alemã e marcou 71 gols, 16 deles em Copas do Mundo. O atacante tem mais um ano de contrato com a Lazio, da Itália, mas despistou sobre uma possível renovação.

“Vamos ver até quando as pernas aguentam”, brincou o jogador. “Com o título mundial, eu realizei um sonho de infância. Tenho orgulho e me sinto feliz de poder ter contribuído. Para mim, não poderia haver um momento melhor para encerrar esse capítulo na seleção alemã.”

Para o técnico da Alemanha, Joachim Löw, Klose foi um dos maiores atacantes que o futebol já produziu, um exemplo de “profissionalismo, espírito de equipe, modéstia e confiança”. “Como pessoa e como jogador, sentiremos falta dele. Fico feliz e grato de poder ter trabalhado com Klose”, disse o treinador.

A despedida de Lahm e Klose deverá ser no dia 3 de setembro, quando os dos times finalistas da Copa, Alemanha e Argentina, se enfrentam num amistoso em Düsseldorf. Ainda não se sabe se os dois entrarão em campo.

Fonte: http://www.dw.de/

São Paulo – Brasil – 23:29

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

Brasil 2014 – A Copa dos recordes: confira as novas marcas históricas que foram estabelecidas no Mundial de 2014

Klose vibra com o seu 16º gol marcado em Copas do Mundo

A Copa do Mundo de 2014 já foi embora, mas ainda deixa saudades. O torneio, conquistado pela Alemanha, encheu os olhos de quem já era fanático pelo esporte e tornou alguns leigos especialistas no mundo da bola. O encanto com as partidas era presente desde o início, e a expressão “Copa das Copas” entrou para o vocabulário coloquial. Outra denominação que cairia bem seria “Copa dos recordes”, já que muita coisa foi reescrita em terras brasileiras.

Desde Klose superando Ronaldo até a avalanche dos 7 a 1 da Alemanha sobre o Brasil, novas marcas apareceram na história deste que é o principal torneio do futebol. O camaronês Roger Milla, por exemplo, foi superado duas vezes. Deixou de ser o atleta mais velho a jogar uma partida de Mundial, além de não ser mais o grande artilheiro africano. Neste especial, confira a lista de outras novas marcas registradas durante o período em que o nosso país foi palco do maior espetáculo da bola.

Título alemão e os ecos do 7 a 1

Primeira seleção europeia a conquistar uma Copa do Mundo em terras americanas, a Alemanha também foi a que mais vezes chegou às decisões. Contra a Argentina, a Nationalelf disputou sua oitava final no torneio. E para chegar lá, os alemães venceram o Brasil por 7 a 1 na semifinal, um resultado incrível que estabeleceu alguns dos recordes mais relevantes da história desta competição. Naquele jogo:

– Klose marcou seu 16º gol em Copas, superando os 15 de Ronaldo para se tornar o maior artilheiro da história dos Mundiais
– A Alemanha superou o Brasil como seleção que mais gols marcou na história da competição: 224 tentos (incluindo o marcado por Götze na decisão posterior)
– A Alemanha foi a seleção que marcou cinco gols no menor intervalo de tempo: 29 minutos
– A Nationalelf aplicou a maior goleada da história das semifinais das Copas e a maior goleada aplicada em um país-sede do torneio
– O Brasil sofreu sua maior derrota na história das Copas do Mundo

Roger Milla, enfim, é superado

O camaronês Roger Milla está e sempre estará na história da Copa do Mundo, mas o autor da famosa dancinha perto da bandeira de escanteio cedeu suas duas maiores marcas para outros atletas. 

O ex-atacante deixou de ser o jogador mais velho a participar de uma partida de Copa: quem detém este recorde agora é Faryd Mondragón, que aos 43 anos e três dias entrou aos 39 minutos do segundo tempo da vitória por 4 a 1 da Colômbia sobre o Japão, na fase de grupos. 

Na derrota por 2 a 1 para Portugal, o ganês Asamoah Gyan marcou o seu sexto gol em Copas, superando os cinco marcados anteriormente por Milla. Agora, o atacante da camisa 3 é o maior artilheiro africano das Copas do Mundo.

Heróis do banco de reservas

Mario Götze entrou pouco antes do início da prorrogação contra a Argentina e, aos 113 minutos, marcou o gol que deu o título mundial para a Alemanha. Foi a primeira vez que um jogador saiu do banco de reservas para estufar as redes dando para a sua equipe o troféu mais cobiçado do futebol. Além do camisa 19 da Nationalelf e Bayern de Munique, aconteceram outros 31 gols marcados por atletas suplentes. Nunca jogadores reservas balançaram tanto as redes em uma Copa do Mundo.

Península Ibérica decepciona

A Espanha chegou no Brasil para defender o título conquistado quatro anos antes, na África do Sul. Era considerada uma das favoritas, mas decepcionou. Portugal não tinha ambições tão altas, mas contava com Cristiano Ronaldo, eleito melhor jogador do mundo e campeão da Champions League com o Real Madrid. No entanto, espanhóis e lusos voltaram para casa com recordes negativos.

Na estreia, a Espanha foi derrotada por 5 a 1 para a Holanda. Foi a maior goleada sofrida por um detentor do título mundial. Os portugueses também tiveram que buscar a bola no fundo da rede várias vezes em seu primeiro jogo. Contra a Alemanha, que venceu por 4 a 0, Portugal levou sua maior goleada em Copas do Mundo.

Outros recordes estabelecidos:

– Os oito campeões de seus grupos se classificaram para as quartas de final. Foi a primeira vez que isso aconteceu na história dos Mundiais.
– Pior campanha da história da Inglaterra em Mundiais: apenas um ponto somado.
– Tim Cahill, da Austrália, tornou-se o primeiro jogador da Oceania a marcar gols em três Mundiais diferentes
– A Argélia tornou-se o primeiro time africano a marcar quatro gols em uma partida de Copa do Mundo (4 a 2 sobre a Coreia do Sul)
– Keisuke Honda tornou-se o primeiro jogador japonês a fazer gols em duas Copas do Mundo diferentes
– A família Song recebeu três dos oito cartões vermelhos da história de Camarões em Copas do Mundo (Alex Song em 2014 e seu tio Rigobert Song em 1994 e 1998)
– Honduras é a seleção que mais jogos fez no Mundial sem conseguir uma vitória (3 empates, 6 derrotas)
– Nas últimas seis Copas, desde 1994, o México foi eliminado nas oitavas de final do torneio. Nenhuma seleção caiu mais vezes nesta fase do que os mexicanos.
– Contra a Suíça, Di Maria marcou o gol mais tardio da história da seleção argentina em Mundiais (118 minutos)
– O empate sem gols entre Argentina e Holanda, na semifinal da Copa, foi o primeiro 0 a 0 em semifinais de Mundial.

Fonte: http://www.goal.com

São Paulo – Brasil – 23:10

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

Brasil 2014 – Klose ainda não se decidiu sobre aposentadoria da seleção

Futuro indefinido

Maior artilheiro da história das Copas do Mundo, o atacante Miroslav Klose afirmou logo após a conquista do Mundial, que ainda não sabe se irá ou não seguir defendendo a seleção nas próximas partidas.

“Não sei ainda se seguirei com a seleção nacional. Precisarei primeiro de algumas noites de sono para decidir e anunciar a escolha certa”, declarou.

Aos 36 anos, Klose defende a equipe desde 2001. É o maior artilheiro da história da seleção alemã, com 71 gols, e o segundo com mais partidas disputadas, totalizando 137 jogos.

Vice em 2002 e terceiro em 2006 e 2010, Klose também manifestou alívio com a tão desejada conquista. “É excelente, coroa tudo. Ainda é difícil de compreender, levantar essa taça foi como um sonho”, finalizou o atacante.

Fonte: http://www.goal.com

São Paulo – Brasil –00:37

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

Brasil 2014 – Os números da eliminação brasileira

Os números da eliminação brasileira
© Getty Images

Daqui a dezenas de anos, torcedores de todo o mundo ainda lembrarão onde estavam no dia em que a Alemanha bateu o Brasil por 7 a 1. Foi uma partida e um resultado tão espetaculares, tão extraordinários, que a própria Copa do Mundo da FIFA™, com a sua rica e variada história, jamais havia registrado algo do gênero. Com a goleada, veio também uma incrível série de números e estatísticas impressionantes.

2.000  foi o número de gols atingido pela Alemanha após o tento anotado por Thomas Müller no Mineirão. Quem deu início a essa história foi Fritz Becker, que 106 anos atrás, mais especificamente no dia 5 de abril de 1908, abriu o marcador a favor da seleção alemã na vitória por 5 a 3 sobre a Suíça.

223  gols em Copas do Mundo é o recorde que os alemães alcançaram após o confronto com o Brasil. Até então, era a própria seleção brasileira que liderava o quesito, com 220. A marca foi quebrada por Sami Khedira, que marcou o quinto gol do dia.

76  anos separam a derrota desta terça-feira da primeira e até então única do Brasil em semifinais de Copa do Mundo — 2 a 1 diante da Itália em 1938.

39 anos se passaram desde a última derrota da Seleção dentro de casa em partidas válidas por competições, que curiosamente também aconteceu em Belo Horizonte. O Peru foi o carrasco na ocasião, batendo os brasileiros por 3 a 1 na semifinal da Copa América.

17 gols foram marcados pelos alemães no Brasil 2014 até o momento. Isso já representa a segunda campanha mais produtiva da Alemanha, atrás apenas de 1954, quando o país balançou as redes em 25 oportunidades na caminhada até a conquista do título. Já o Brasil sofreu 11 gols, igualando a sua pior marca da história, registrada em 1938.

16 é o novo recorde de gols marcados por um único jogador em Copas do Mundo. O autor da proeza é Miroslav Klose, atacante da Lazio que assumiu o lugar de Ronaldo oito anos depois de o brasileiro fazer 15 e tirar, em solo alemão, o posto de Gerd Müller. Desta vez, Klose fez o contrário e recuperou o recorde para a Alemanha em solo canarinho. Esse foi ainda o 19º tento do jogador de 36 anos em competições de grande porte, o que também é um recorde entre os europeus — a marca anterior, de 18, também era de Gerd Müller. Klose chegou a essas marcas no seu 23º jogo em Mundiais, igualando-se ao italiano Paolo Maldini e ficando atrás apenas do compatriota Lothar Matthäus. Por outro lado, ele chegou a 13 partidas de mata-mata na Copa do Mundo e passou Matthäus e Cafu no quesito.

10 é o número de vezes em que Thomas Müller foi às redes em partidas da Copa do Mundo. O atacante do Bayern de Munique é o 13º jogador a chegar à casa da dezena e, aos 24 anos e 298 dias de vida, é também o terceiro mais jovem, atrás de Gerd Müller (24 anos e 226 dias) e Sandor Kocsis (24 anos e 282 dias). Com cinco gols e três assistências até o momento, Müller terá na final a chance de se tornar o primeiro jogador a marcar e/ou criar nove ou mais em uma mesma Copa do Mundo desde Diego Maradona (cinco gols e cinco assistências) em 1986. Além disso, ele é apenas o terceiro da história a balançar as redes cinco ou mais vezes em duas edições diferentes do Mundial, seguindo o peruano Teófilo Cubillas (1970 e 1978) e Klose (2002 e 2006).

10 são as vitórias de Joachim Löw na Copa do Mundo. Na história da seleção alemã, apenas o emblemático Helmut Schön venceu mais vezes.

8 é a quantidade de finais alcançadas pela Alemanha, recorde absoluto. Os alemães voltam à grande decisão pela primeira vez desde 2002 e tentam ficar com um troféu que não erguem desde 1990, na Itália.

gols só tinham sido marcados contra o Brasil uma única vez na história, quando a Iugoslávia venceu por 8 a 4 um amistoso realizado no dia 3 de junho de 1934. Contudo, nenhuma seleção havia anotado tantos gols em uma semifinal de Copa do Mundo. O recorde anterior era de seis e havia sido registrado por três países, sendo o mais recente deles a Alemanha Ocidental de 1954. Os comandados de Joachim Löw conquistaram também a vitória mais elástica entre os quatro melhores colocados de um Mundial, superando o recorde de cinco tentos de diferença. Até então, apenas uma partida de mata-mata havia registrado sete gols. Foi em 1954, quando a Áustria bateu a anfitriã Suíça por 7 a 5 no jogo com o maior número de gols na história das Copas do Mundo. O confronto entre vizinhos tinha sido também a única vez na história em que a defesa dos donos da casa havia sido vazada sete vezes em um único confronto do Mundial.

6 foi a diferença de gols na vitória da Alemanha, igualando o recorde em triunfos sobre a seleção brasileira. A última derrota do Brasil de forma tão avassaladora datava de 1920, quando o Uruguai vencera por 6 a 0. A marca iguala também o segundo maior saldo de gols da Alemanha em uma partida de Copa do Mundo — 6 a 0 sobre o México em 1978 —, mas não supera o recorde de 8 a 0 sobre a Arábia Saudita em 2002.

5 gols foram marcados pelos alemães durante o primeiro tempo. A seleção de Joachim Löw é uma das apenas três que atingiram o feito na história da Copa do Mundo. As outras duas são Iugoslávia (6 a 0 na vitória por 9 a 0 sobre o Zaire em 1974) e Polônia (5 a 0 na vitória por 7 a 0 sobre o Haiti também em 1974).

Fonte: http://pt.fifa.com/

São Paulo – Brasil – 15:08

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

O incrível Miroslav Klose

Klose marcou logo após entrar na partida contra Gana
Klose chegou à incrível marca de 15 gols em Copas do Mundo
O maior terror de Ronaldo “Fenômeno” se confirmou. Neste sábado, o centroavante Miroslav Klose marcou um gol na partida entre Alemanha e Gana, na Arena Castelão, e chegou a 15 em Copas do Mundo. Agora, o alemão está empatado com o brasileiro no topo da lista de maiores artilheiros da história dos Mundiais.

Curiosamente, o gol vem justamente contra o mesmo rival em que Ronaldo fez o seu 15º e último gol em Copas. O brasileiro balançou as redes ganesas nas oitavas de final de 2006, jogando justamente na Alemanha.

Craques

Com o tento anotado sobre os africanos, Klose marca em sua quarta Copa do Mundo seguida. O alemão ainda se iguala a Pelé e ao compatriota Uwe Seeler e se torna o terceiro jogador a conseguir balançar as redes em quatro Mundiais.

A história de Klose em Copas começou em 2002, quando ele colocou cinco bolas nas redes: três na goleada por 8 a 0 sobre a Arábia Saudita, uma no empate por 1 a 1 com a Irlanda e uma na vitória por 2 a 0 sobre Camarões.

Seu grande momento, porém, seria em 2006, quando ele terminou a Copa como artilheiro. Foram mais cinco tentos: dois na vitória por 4 a 2 sobre a Costa Rica, dois na vitória por 2 a 0 sobre o Equador e um no empate por 1 a 1 com a Argentina.

Já em 2010, ele fez “apenas” quatro: um na goleada por 4 a 0 sobre a Austrália, um no massacre por 4 a 1 sobre a Inglaterra e dois no passeio por 4 a 0 sobre a Argentina.

O Mundial do Brasil, inclusive, será o último de Klose, que está com 36 anos e já anunciou sua aposentadoria da seleção depois do torneio da Fifa.

Veja quem são os maiores artilheiros da história das Copas:

1) Miroslav Klose (ALE) / Ronaldo (BRA) – 15 gols
2) Gerd Muller (ALE) – 14 gols
3) Just Fontaine (FRA) – 13 gols
4) Pelé (BRA) – 12 gols
5) Sandor Kocsis (HUN) / Jurgen Klinsmann (ALE) – 11 gols

 

Fonte: http://espn.uol.com.br/

São Paulo – Brasil – 19:53

Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão

Brasil 2014 – Ochoa deu um verdadeiro show

Guillermo Ochoa: ele foi o nome do jogo: impediu três gols do Brasil que pareciam certos

Depois de oito Copas do Mundo da FIFA seguidas, o Brasil não conseguiu vencer seus dois primeiros jogos na primeira fase. A série positiva durava 32 anos, desde a Espanha 1982, mas se encerrou nesta terça-feira contra o México, muito em parte graças a Guillermo Ochoa. O goleirão  fez ao menos quatro defesas incríveis, frustrou um ataque brasileiro que não esteve no melhores dias e garantiu o segundo 0 a 0 do Mundial.

A torcida em Fortaleza voltou a empurrar a equipe como na última Copa das Confederações – quando o Brasil iniciou a tradição de cantar o hino à capela –, mas, ao contrário do ano passado e da vitória por 2 a 0 sobre o mesmo México, desta vez não conseguiu completar a festa. Pior ainda, não cumpriu o objetivo de se classificar de forma antecipada para as oitavas e ainda viu Luiz Felipe Scolari perder os 100% de aproveitamento como treinador em Copas (tem agora oito vitórias em um empate).

Assim como contra a Croácia, o Brasil entrou em campo afobado e encontrou dificuldades no primeiro tempo. Embora tivesse mais presença no ataque, criou apenas duas chances perigosas. Na primeira, em um cruzamento venenoso de Daniel Alves, Neymar subiu mais que Rafa Márquez, cabeceou com estilo, mas Ochoa, que, curiosamente, não estava garantido como titular antes da Copa, fez uma defesa espetacular.

Na outra, também em jogada aérea, Thiago Silva desviou de peito, Paulinho deu um toque de leve na pequena área, mas Ochoa novamente fechou o gol. A Seleção chegou com perigo, mas tinha problemas na frente, com Fred isolado e Oscar e Neymar menos acionados. Por outro lado, também só correu riscos em alguns chutes de longa distância, com Layún e Vásquez.

A volta do intervalo trouxe a primeira mudança na Seleção: Ramires, substituto de Hulk, deu lugar a Bernard, que logo em sua primeira jogada invadiu a área com velocidade, cruzou e por pouco não achou Neymar. E outra mudança: o México voltou bem melhor, adiantando a marcação e mantendo a tática de chutar de longe, com ao menos quatro disparos que assustaram Júlio César.

Com os minutos correndo e a tensão aumentando, o Brasil seguiu nervoso e só foi acordar aos 25 minutos, quando Neymar dominou bonito de peito na área e chutou para outra grande defesa do paredão Ochoa. Jô ainda deu mais agilidade e opção no ataque ao substituir Fred, mas Ochoa, sempre ele, ainda teve tempo de fazer outro milagre, em cabeçada de Thiago Silva à queima roupa.

Guillermo Ochoa Brasil x Mexico (Foto: Reuters)Ochoa defende cabeçada à queima-roupa de Thiago Silva aos 40 minutos do 2º tempo (Foto: Reuters)

 

No fim, o México se manteve lúcido, marcando, tocando bem a bola e encerrando sua boa atuação com um justo ponto – e com Ochoa, eleito Craque do Jogo Budweiser, confirmando após o apito final que havia feito “a melhor partida da carreira”. Ao Brasil, resta agora ir para cima de Camarões, no dia 23, em Brasília, para garantir a esperada classificação.

Fonte: http://pt.fifa.com/

São Paulo – Brasil – 20:50

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Josy Galvão