Archive for the ‘Notícias do Batom e Futebol’ Category

Bayern Munique com dois ‘reforços’ de peso

Atualmente nos Estados Unidos para integrar a International Champions Cup, uma delegação do Bayern Munique jantou na última quarta-feira com várias personalidades, onde estavam presentes também Arnold Schwarzenegger e Sylvester Stallone. Nas fotos divulgadas, os famosos atores até posaram com cobras ao pescoço…

Confira as imagens do encontro!

 

 

 

 

 

 

#WeAreGermany

São Paulo – Brasil – 13:37

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil:  ‏@Batom_efutebol

Follow the Batom and Futebol on Twitter, home of German Football in Brazil:  ‏@Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Por Josy Galvão

Presidente do Stuttgart denuncia várias ameaças de morte e renuncia ao cargo

O presidente do Stuttgart, Wolfgang Dietrich, denunciou a polícia uma série de ameaças de morte por parte dos torcedores após a confirmação do rebaixamento do clube.

2. Bundesliga: Wolfgang Dietrich renuncia ao cargo de presidente do VfB Stuttgart.

Wolfgang Dietrich renuncia ao cargo de presidente do VfB Stuttgart. © Christoph Schmidt / dpa

O recente rebaixamento provocou uma avalanche de críticas contra a direção do clube alemão. A derrota para o FC Union Berlin no ‘play off’ foi a gota d’água para os torcedores mais radicais, descontentes com a administração de Wolfgang Dietrich.

O mandatário do clube de Baden-Württemberg se viu obrigado a entrar em contato com as forças policiais devido as ameaças de morte que vem recebendo. 

Após um colapso na assembleia geral marcada para o último domingo, 14, o presidente do VfB Stuttgart analisou as consequências e renunciou ao cargo. Ele não quer mais ser responsabilizado por tudo.  

“Eu não posso e não quero mais ser responsabilizado por tudo que não é autorizado ou injustificado no VfB Stuttgart”, escreveu o jogador de 70 anos em sua página no Facebook . O grau de “hostilidade e malícia” que ele experimentou na assembléia geral, “jamais pensei ser possível”.

#WeAreGermany

São Paulo – Brasil – 12:57

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil:  ‏@Batom_efutebol

Follow the Batom and Futebol on Twitter, home of German Football in Brazil:  ‏@Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Por Josy Galvão

 

Futebol Feminino – Projeto veta recurso para Copa de 2026 até que os EUA tenham igualdade no futebol

Crédito: LIONEL BONAVENTURE / AFP

A luta das jogadoras da seleção norte-americana de futebol por pagamentos iguais aos dos homens chegou ao Capitólio. Nesta semana, o senador Joe Manchin, eleito pelo Estado da Virgínia Ocidental, apresentou um projeto de lei que proíbe a destinação de recursos federais para a Copa do Mundo de 2026 até que a federação americana de futebol garanta remuneração igual para os dois times: feminino e masculino. A proposta chega a Washington no auge do entusiasmo e popularidade do time feminino, após a conquista do tetracampeonato no Mundial da França.

O projeto estabelece que “nenhum fundo federal poderá ser designado para apoiar a Copa do Mundo de 2026, incluindo: apoio a uma cidade anfitriã, a um estado participante ou agência local, à Federação de Futebol dos Estados Unidos, à Confederação de Futebol da América do Norte, da América Central e do Caribe (Concacaf) ou à FIFA, até a data em que a Federação de Futebol dos Estados Unidos concordar em pagar equitativamente” os integrantes das duas seleções.

As jogadoras da seleção americana deixaram claro antes de embarcar para a França que buscavam mais do que um troféu, mas direitos iguais em campo, e que usariam a exposição no Mundial como plataforma política. Em março, no Dia Internacional da Mulher, 28 jogadoras decidiram processar a federação americana de futebol para pedir salários iguais aos dos jogadores. Elas alegam que jogaram 19 partidas a mais do que a seleção masculina em um período de três anos, gastaram mais tempo em viagens, treinos e coletivas de imprensa, mas mesmo assim recebem o equivalente a 38% da remuneração paga aos homens. A federação e as jogadoras concordaram em iniciar um processo de mediação para resolver a questão.

“O pagamento desigual entre os times de futebol masculino e feminino dos EUA é inaceitável e fico feliz que a vitória da equipe feminina esteja causando clamor público”, afirmou o senador.

Uma das justificativas comuns para a diferença no pagamento é o argumento de que os jogos femininos não são tão lucrativos e não despertam o mesmo interesse das marcas patrocinadoras. No fim de junho, enquanto ainda acontecia o Mundial da França, o jornal The Wall Street Journal informou que os jogos da seleção feminina de futebol dos EUA geraram mais receita do que os da seleção masculina – segundo análise feita com base nos dados dos relatórios financeiros da Federação de Futebol dos EUA. Os direitos de transmissão e patrocínios, no entanto, são vendidos em um pacote e, por isso, é difícil diferenciar qual dos dois times recebeu mais verba.

A audiência nas televisões do país para assistir à final do Mundial Feminino foi pouco mais de 20% maior do que a conectada para assistir à final da Copa do Mundo masculina, em 2018, entre França e Croácia. A seleção americana masculina nunca ganhou uma Copa do Mundo – no ano passado, o time sequer se classificou para a competição.

Para os americanos, o futebol está longe de ser o esporte favorito. Outros vêm na mente dos moradores dos Estados Unidos muito antes de pensarem em uma Copa do Mundo. Futebol americano, basquete, beisebol e hóquei despertam as paixões nacionais. Mas, na Copa Feminina, a seleção americana tem conseguido despertar entusiasmo entre os americanos desde 2015, com o tricampeonato. Na quarta-feira, em um desfile das jogadoras campeãs em Nova York, a igualdade salarial foi tema central – não apenas nos discursos e cartazes das jogadoras, mas também entre o público. Uma das faixas dizia “desfiles são legais, mas pagamento igual é mais legal”.

Matéria originalmente publicada por:  https://istoe.com.br

São Paulo – Brasil – 12:20

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

Futebol Feminino – FIFA é criticada por escândalo sexual envolvendo jogadoras afegãs

Enquanto celebra a Copa do Mundo feminina, FIFA dá pouca atenção a denúncias de abusos sexuais sofridos por atletas da seleção afegã. Para treinadora, federação varre o problema para baixo do tapete.

Jogadoras da seleção do Afeganistão treinam em Cabul

Jogadoras da seleção do Afeganistão treinam em Cabul

 

“Ouse brilhar” é o slogan oficial desta Copa do Mundo de Futebol Feminino. Cartazes com esse lema estão pendurados em todos os lugares: nos centros das cidades e nos estádios franceses. A frase também aparece em transmissões feitas por emissoras de televisão, enviando a mensagem para todo o mundo.

Em uma propaganda, jogadores famosos explicam o que está por trás dessa frase. Pablo Aimar, ex-jogador da seleção argentina e atualmente auxiliar técnico, diz que a frase tem a ver com livrar-se da pressão e de preconceitos.

“Você tem a oportunidade de fazer algo extraordinário e especial”, diz a ex-jogadora da seleção alemã, Celia Sasic. E a recordista brasileira Marta declara: “Isso deve lhe motivar a correr riscos na vida e a não ter medo de cometer erros.”

Enquanto as melhores do mundo brigam pelo título, as jogadoras do Afeganistão lutam por algo muito mais importante do que um troféu: para serem ouvidas, por dignidade e pela própria identidade.

As esportistas se atreveram a dizer algo que não é tolerado por sua sociedade: que elas foram e são sexualmente assediadas e violadas, abusadas físico e psicologicamente por funcionários de sua própria associação de futebol.

“Elas abdicaram de suas vidas inteiras, de tudo aquilo por que lutavam, para jogar futebol pelo seu país e deixar as pessoas orgulhosas”, afirma Kelly Lindsey, treinadora da seleção feminina do país, com lágrimas nos olhos e voz trêmula em coletiva de imprensa da AFDP Global, organização que promove a tolerância e o respeito no futebol.

“Embora as jovens tenham tido a coragem de falar a verdade, elas têm agora que se esconder. Elas já não podem mais mostrar seus rostos e são desrespeitadas. Suas famílias são ameaçadas”, acrescentou Lindsey.

Menos de oito horas depois, a apenas 20 quilômetros do centro histórico de Lyon, a Federação Internacional de Futebol (FIFA) deixou rolar no estádio da cidade a segunda semifinal da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Espectadores bem-humorados de todo o mundo compravam freneticamente nas lojas oficiais da FIFA, celebravam as seleções da Holanda e da Suécia.

“Em fevereiro e março do ano passado, nós fomos a um campo de treinamento na Jordânia, e as jogadoras começaram a reclamar apenas de forma hesitante e depois com veemência, sobre dois funcionários que estavam na viagem”, afirmou a treinadora da seleção afegã em entrevista à DW.

“Eles teriam assediado as jogadoras e entrado em seus quartos. E, ainda, forçado as esportistas a entrar em seus quartos. Todas as meninas se sentiram desconfortáveis. Circularam rumores de abuso sexual”, afirmou a ex-jogadora dos EUA, que disse ter informado imediatamente à associação de futebol afegã (AFF). A reação? “Coisas assim acontecem mesmo”, teria dito a associação.

Foi também difícil ser ouvida pela FIFA. Quando elas finalmente encontraram alguém disposto a lidar com a questão, pareceu uma partida de tênis com duração de oito meses, explicou Lindsey.

“Foi de um lado para o outro. Nós tentamos responsabilizar a FIFA. Eles queriam entregar o problema à ONU, de novo à FIFA e depois de novo à ONU”, contou. 

Lindsey não teve a sensação de que algo estava realmente sendo feito. Entretanto, as meninas ficavam cada vez mais desesperadas e continuavam sendo abusadas. A treinadora disse que, de alguma forma, era necessário garantir que elas estivessem seguras.

Dare to shine (Ouse brilhar) é o slogan oficial desta Copa do Mundo de Futebol Feminino na França

“Dare to shine” (“Ouse brilhar”) é o slogan oficial desta Copa do Mundo de Futebol Feminino na França

“Nós tínhamos que tentar tirá-las do país para que pudessem falar abertamente sobre o assunto.” A sensação de não ter voz e de não ser ouvida é a pior coisa, contou a treinadora. “É assustador saber que ninguém está ouvindo você, que você tem que continuar como se nada tivesse acontecido.”

Os negócios do futebol continuaram como se nada tivesse acontecido. Os meios de comunicação também seguiram celebrando jogadoras famosas que fazem uma campanha impressionante a favor da igualdade e contra a discriminação.

Todos os canais, jornais e sites falaram sobre a jogadora americana Megan Rapinoe, que, se vencer o título da Copa do Mundo, “não quer ir à maldita Casa Branca”, como declarou a esportista de 33 anos. Já o tema abuso não se vende ao público com muita facilidade.

Um dia após o início da Copa do Mundo de Futebol Feminino, a FIFA publicou uma declaração em seu site, escondida nos menus de navegação, afirmando que a organização “considera o senhor Keramuudin Karim, ex-presidente da Federação Afegã de Futebol e ex-integrante da FIFA, culpado por usar sua posição para abusar sexualmente de várias jogadoras”.

A FIFA aplicou uma suspensão vitalícia a Karim, e ele terá que pagar uma multa. Não é feita nenhuma referência aos outros funcionários que também teriam assediado as jogadoras.

“Os outros acusados são membros da associação afegã de futebol. O governo iniciou uma investigação, e o secretário-geral foi proibido de viajar”, afirmou o príncipe Ali bin al-Hussein, da Jordânia, o fundador da AFDP Global, em entrevista à DW.

“Ao mesmo tempo, porém, o secretário-geral foi eleito representante da Federação Asiática de Futebol junto à FIFA. É bizarro que ele tenha sido aprovado na verificação de integridade da FIFA”, completou al-Hussein.

“A FIFA simplesmente varre o problema para debaixo do tapete”, disse a treinadora da seleção afegã, Lindsey. Para ela, a suspensão vitalícia de um único homem apenas aconteceu para mostrar ao mundo que fizemos alguma coisa, mas a FIFA precisa finalmente se engajar para provocar uma mudança sistemática.

“Os agressores devem ser responsabilizados, e as vítimas devem ser protegidas. [O que aconteceu até agora] não é suficiente”, concluiu Lindsey.

Ela acusa o presidente da FIFA, Gianni Infantino, de omissão. “Ele é uma vergonha e perdeu sua integridade. E, para ser honesta, ele não é o meu presidente. Ele não defende suas próprias diretrizes da FIFA em matéria de direitos humanos. Ele não deveria mais ser presidente, principalmente depois de como a FIFA lidou com esse escândalo.”

Infantino estará no estádio em Lyon neste domingo (07/07), quando as vencedoras da Copa do Mundo de Futebol Feminino serão celebradas. Ele dirá que as jogadoras tiveram a coragem de brilhar e entregará a taça para as esportistas sob chuva de confetes. Provavelmente, ele não dirá uma única palavra sobre as jogadoras nacionais afegãs que foram abusadas.

Matéria publicada antes da final da Copa do Mundo Feminina 2019.

 

 

Matéria originalmente publicada por:  https://www.dw.com/pt-br

São Paulo – Brasil – 17:26

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

Futebol Feminino – Alibaba anuncia investimento de US$ 145 milhões no futebol feminino da China

Valor será empregado no desenvolvimento do esporte no país através da tecnologia e na fomentação de novos talentos.

Alibaba anuncia investimento de US$ 145 milhões no futebol feminino da China

A China está na 16ª posição no ranking da FIFA de futebol feminino

 

O Alipay, serviço de pagamento online da gigante do varejo Alibaba, anunciou o investimento de US$ 145 milhões na equipe de futebol feminino da China para os próximos anos. Segundo nota divulgada nesta segunda-feira (8), o valor será empregado no desenvolvimento do esporte no país através da tecnologia e na fomentação de novos talentos.

A seleção chinesa foi eliminada pela Itália nas oitavas do Mundial disputado na França nas últimas semanas. A equipe já despontou como uma das melhores do mundo e chegou a disputar a final na edição de 1999, mas foi vencida pela seleção dos Estados Unidos, que conquistou o tetracampeonato inédito neste fim de semana. Atualmente, a China está na 16ª posição no ranking da Federação Internacional de Futebol (Fifa).

O investimento está em acordo com os planos da China em se tornar uma potência no futebol masculino e feminino nas próximas décadas. Em 2016, o governo anunciou uma série de medidas para tornar o país uma referência no esporte até 2050 com a criação de centros de treinamento e o incentivo da modalidade nas escolas.

O anúncio coincide com as reivindicações de melhores pagamentos e condições para o futebol feminino em todo o mundo. A FIFA foi duramente critica ao premiar com US$ 30 milhões as campeãs do futebol feminino deste ano, enquanto a seleção da França recebeu US$ 400 milhões pela conquista do Mundial da Rússia, em 2018. Segundo a entidade, o valor do prêmio feminino será dobrado na próxima edição do torneio, em 2023.

Esta não é a primeira vez que o Alipay investe no futebol. A subsidiária do Alibaba fechou um acordo de publicidade de US$ 225 milhões com a Liga dos Campões da Europa no ano passado.

 

Matéria originalmente publicada por:  https://globoesporte.globo.com

São Paulo – Brasil – 17:02

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão

A temporada 2019/2020 da Bundesliga já tem data para começar

Com o encontro entre os campeões alemães FC Bayern de Munique e Hertha Berlin, a 57ª temporada da Bundesliga começa no dia 16 de agosto. 

Três semanas antes, iniciará a 2. Bundesliga na sexta-feira 26 de julho com a partida entre o VfB Stuttgart que recebe o Hannover 96.  

Os primeiros jogos estão previstos para a Bundesliga na 28ª semana do calendário (8 a 12 de julho), para a 2ª Bundesliga já na próxima semana. Ao longo da temporada, acompanhe os outros compromissos concretos, entre outros, dependendo do desempenho dos clubes nas competições internacionais e na Copa da Alemanha.

Você sempre quer saber quando e onde seu time está jogando? Você não quer perder um destaque na Bundesliga? 

Planos de fundo para criar os cronogramas e o cronograma podem ser encontrados aqui .

O calendário da Bundesliga, 2ª Bundesliga e Copa da Alemão podem ser baixados aqui:

 

Para baixar direto em seu celular, clique nos links abaixo

>> Aqui está o calendário da Bundesliga

>> Aqui está o calendário da 2. Bundesliga

Após os compromissos agendados durante a temporada, as datas do jogo serão atualizadas automaticamente no seu calendário.

 

#WeAreGermany

São Paulo – Brasil – 17:04

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil:  ‏@Batom_efutebol

Follow the Batom and Futebol on Twitter, home of German Football in Brazil:  ‏@Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Por Josy Galvão

 

Futebol Feminino – Real Madrid estuda contratação de Marta,diz jornal

Crédito: JEAN-PIERRE CLATOT / AFP

Desejando formar um competitivo time de futebol feminino, o Real Madrid está de olho na contratação da atacante brasileira Marta, que defende atualmente a equipe do Orlando Pride, dos Estados Unidos.

De acordo com o jornal espanhol “As”, a camisa 10 da seleção brasileira seria a líder da equipe madrilenha, que pretende investir pesado para se equiparar aos rivais Atlético de Madrid e Barcelona.

Além de Marta, o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez, estaria monitorando as jogadoras Verónica Boquete, do Paris Saint-Germain (PSG), Jennifer Hermoso, do rival Atlético, Ada Hegerberg, do Lyon, e Sam Kerr, do Chicago Red Stars.

Ainda segundo o periódico, Marta já teria avaliado positivamente o interesse do Real Madrid.

A seleção brasileira foi eliminada da Copa do Mundo feminina após a derrota por 1 a 0 diante da França, em Le Havre.

 

Matéria originalmente publicada por:  https://istoe.com.br

São Paulo – Brasil – 12:28

Siga o Batom e Futebol no Twitter, a casa do Futebol Alemão no Brasil: @Batom_efutebol

Follow Batom and Futebol on Twitter, the home of German Football in Brazil:  @Batom_efutebol

Siga o Batom e Futebol no Facebook, a casa do Futebol Alemão no Brasil:https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Follow Batom and Futebol on Facebook, the home of German Football in Brazil: https://www.facebook.com/BatomeFutebol

Josy Galvão